As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Agressão no Parlamento argentino

Redação Internacional

18 de novembro de 2010 | 14h37

A deputada oposicionista da Argentina Graciela Camaño deu um tapa na boca do deputado da situação Carlos Kunkel durante um debate em uma comissão que trata de supostas pressões do governo para que os parlamentares aprovem o orçamento de 2011.

Graciela, uma deputada dissidente do governista Partido Justicialista (Peronista), e Kunkel, um dos principais nomes do bloco do governo, protagonizaram o incidente no plenário, na comissão de Assuntos Constitucionais do Senado.

Graciela se irritou com uma frase do colega referindo-se a uma declaração anterior do marido da deputada, Luis Barrionuevo, acusado de corrupção, segundo o jornal Clarín. A deputada então se aproximou dele e desferiu o tapa na cara.

A cena foi transmitida ao vivo por dois canais de notícias que acompanhavam o debate. “Sob nenhum ponto de vista vou permitir que Kunkel nem ninguém me falte com o respeito. Cansou-me porque estive todo o ano aguentando-o”, afirmou ela, após o incidente. “Kunkel está acostumado a agredir-me”, acrescentou.

O deputado da situação, considerado bastante próximo da presidente Cristina Kirchner e de seu falecido marido, Néstor Kirchner, não comentou o caso.

O incidente ocorre no momento em que o Congresso argentino está sacudido por denúncias de duas deputadas que afirmam ter recebido pressões para votar a favor do projeto de lei do orçamento de 2011, em uma sessão anterior. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:

agressãoArgentinaGraciela CamañoKunkel

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.