As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Acompanhe o memorial de Nelson Mandela

Redação Internacional

10 de dezembro de 2013 | 08h23

Cerca de 100 chefes de Estado e/ou de governo assistem nesta terça-feira no FNB Stadium (antigo Soccer City) em Johanesburgo ao evento oficial de homenagem ao ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, morto na última quinta-feira aos 95 anos de idade.

Acompanhe ao vivo a cerimônia na íntegra pelo sinal da TV pública sul-africana SABC:

 

11h44: A assessoria da presidente Dilma Rousseff flagrou em vídeo o momento em que Barack Obama trocam um aperto de mãos. Dilma foi cumprimentada em seguida. As imagens estão na conta da presidente no Instagram

11H00: Zuma exalta o papel de Mandela na reconciliação após o apartheid e na construção da “nação do arco-íris”

10h46: O próximo a falar é o presidente da África do Sul, Jacob Zuma

10H45: Raúl ressaltou em seu discurso a proximidade entre Mandela  a Revolução Cubana, que inspirou a luta do Congresso Nacional Africano (CNA) contra a apartheid e lembrou a visita de Madiba a Cuba em 1991

10H40: “Mandela é um exemplo para a América Latina e o Caribe”

10h36: Fala agora Raúl Castro. Ele elogia o “último símbolo da dignidade e da luta revolucionária pela paz e reconciliação”

 10h31: Discursa agora o presidente da Índia, que cita o impacto de Gandhi na luta de Mandela.

10h24: Depois de discursos de representantes chineses e africanos, mestre de cerimônias pede paciência à multidão, que já começa a esvaziar o Soccer City, debaixo de frio e chuva: “Faltam só mais três discursos”

10h11: Aqui, a foto histórica do aperto de mãos entre Raúl Castro e Barack Obama

obama_raul_1.jpg

 

10h04: Dilma: O Governo e o povo Brasileiro se inclinam diante da memória de  Mandela

10h01: Dilma: “Devemos reverenciar esta manifestação suprema de grandeza e de humanismo. Sua luta transcendeu suas fronteiras nacionais”

09h59: Mandela conduziu um dos processos de emancipação mais importantes do século 20, avalia Dilma no discurso

09h54: Aqui está a íntegra do poema, recitado por Morgan Freeman

09h51: Obama termina citando o poema Invictus, popularizado no filme de Clint Eastwood sobre Mandela

09h49: “Embora eu sempre esteja aquém do exemplo de Madiba, ele me faz querer ser um homem melhor”

09h46: “Todos nós temos de agir em nome da Justiça. Há muitos líderes que dizem partilhar do legado de liberdade de Madiba, mas não toleram discordâncias de seu próprio povo.”

09h45: “Michelle e eu somos beneficiários da luta contra a subjugação racial”

09h42: “Mandela nos ensinou não só o poder da ação, mas também das ideias”

09h41: Obama lembra da iniciativa de Mandela de aprender e entender o costume dos brancos

09h40: Obama fala de outros líderes históricos do CNA, como Walter Sisulu e Oliver Tambo. A multidão o aplaude.

9h38: Obama: “Mandela nos mostrou o poder da ação, ao correr riscos por um ideal maior”

09h36: Obama lembra que Mandela fortaleceu a democracia sul-africana ao exercer a presidência por apenas um mandato

09h34: “Madiba foi o último libertador do século XX”, diz Obama, que comparou Mandela a Mahatma Gandhi, Abraham Lincoln e Martin Luther King

09h32: Começa o discurso de Obama: “O triunfo de Mandela foi o triunfo de vocês. A democracia e a liberdade de vocês é o legado dele”

09h29: O presidente americano trocou um aperto de mãos com o líder cubano, Raúl Castro.

09h26: O próximo a falar deve ser o presidente americano, Barack Obama

09h16: Sul-africano, sobre o legado de Mandela:  “Hoje, estamos maduros e um dia vamos fazer o caminho contrário: vamos eleger um branco e provar que a cor da pele não interessa.” Leia a reportagem de Andrei Netto e Rafael Moraes Moura 

09h05: Mandela lutou por liberdade, igualdade, democracia e justiça, diz Ban Ki-moon. Essas também são as palavras mais repetidas pelos sul-africanos.

09h04: Discursa agora o secretário-geral da ONU, Ban KI-moon, relata o enviado especial Andrei Netto.

08:59: Representantes de mais de 100 países, dos cinco continentes, estão presentes ao funeral. A presidente Dilma Rousseff deve fazer um discurso, junto do presidente americano Barack Obama, do cubano, Fidel Castro e líderes da Índia e da Namíbia

08h55: Ao chegar ao Soccer City, o presidente sul-africano, Jacob Zuma, foi vaiado por parte do público presente. Com a popularidade em baixa, Zuma permaneceu cabisbaixo, escondido atrás dos óculos de sol. Coube a ele anunciar na semana passada a morte de Mandela em rede nacional

Veja a galeria de fotos da cerimônia

[galeria id=8689]

Tudo o que sabemos sobre:

homenagemMandelaSoccer City

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.