As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Veja como foram os protestos contra o filme

Redação Internacional

14 de setembro de 2012 | 12h43

Um filme que retrata o profeta Maomé como mulherengo, homossexual e abusador de crianças está causando protestos pelo mundo islâmico. Para muitos muçulmanos, qualquer representação de Maomé é uma blasfêmia.

Na noite de terça-feira, 11 de setembro, o embaixador dos EUA para a Líbia e outros três diplomatas foram mortos em um ataque à embaixada em Benghazi. Desde então, confrontos entre manifestantes e policiais aumentaram em outros países como Egito, Iêmen, Sudão, Líbano, Tunísia, Afeganistão, Irã, Indonésia e Caxemira.

Os manifestantes entoam frases como “não há outro Deus que não Alá e Maomé é seu profeta”, “Estados Unidos covarde” e “não se insulta o profeta Maomé”. Além disso, eles queimam as bandeiras dos EUA e as substituem por bandeiras negras com versos do Alcorão – também utilizada pela Al-Qaeda.

 Protestos se espalham pelo mundo islâmico:

19h14 – O site da revista The Atlantic criou no GoogleMaps um mapa interativo dos protestos islâmicos ao redor do globo. Um click nos locais e links do mapa revela informações atualizadas sobre os incidentes em diversos países.

MAPAPROTESTOS1.jpg

18h11 –  Segundo a Associated Press,  o secretário de Defesa dos EUA, Leon Panetta, em conversa com ministro da Defesa do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, reafirmou os laços para uma “parceria estratégica” entre os países.

17h30- Rachid al-Ghannouchi, fundador do Ennahda, partido islâmico no poder na Tunísia, condenou em rede nacional os protestos na Tunísia. E pediu uma punição rígida para aqueles que, segundo ele,  “prejudicam as relações com países amigos “, informa boletim da BBC.

15h55 – Em homenagem aos diplomatas norte-americanos que morreram na Líbia, presidente Barack Obama faz pronunciamento. “Nunca vamos parar de lutar pela dignidade e liberdade que todos os cidadãos merecem ter. Esse é o trabalho que fazíamos em Benghazi e que vamos continuar fazendo.”

15h48 – A Casa Branca pediu ao YouTube para que “revise” o vídeo ofensivo ao profeta Maomé que desencadeou a série de violentos protestos em diversos países islâmicos. O governo norte-americano quer que o YouTube, uma unidade da Google, determine se o vídeo está ou não de acordo com suas regras.

15h35 – Corpos de diplomatas norte-americanos mortos na última terça-feira, 11 de setembro, na embaixada em Benghazi chegam aos EUA. Obama e Hillay Clinton acompanham a cerimônia. Veja vídeo da NBC:

Visit NBCNews.com for breaking news, world news, and news about the economy

15h07 – O presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou que as forças de segurança enviadas à Líbia e ao Iêmen ficarão nos países pelo tempo que for necessário. “Ainda que as forças de segurança estejam equipadas para combates, foram enviadas com o único propósito de proteger os cidadãos e propriedades americanos”, ressaltou Obama.

14h45 – De acordo com o governo da Grã-Bretanha, nenhuma pessoa da embaixada no Sudão ficou ferida após a invasão

14h20 – O presidente dos EUA, Barack Obama, e a secretária de Estado, Hillary Clinton, receberão nesta sexta-feira, 14, o corpo do embaixador Christopher Stevens e dos outros três americanos mortos na terça-feira no ataque ao consulado em Benghazi, Líbia, informou a Casa Branca.

14h05 – A agência France Press informou que três pessoas morreram e 28 ficaram feridas nos confrontos em frente à embaixada dos EUA na Tunísia

13h45 – Na Nigéria, cerca de 2 mil pessoas protestam em uma Mesquita na cidade de Jos contra o filme. Forças de segurança atiraram para dispersar a multidão, informa a CNN

13h30 – Três pessoas morreram nos confrontos no Sudão, segundo o jornal Al Arabiya; os manifestantes invadiram a área externa das embaixadas da Alemanha e do Reino Unido no país

13h – Suposta ameaça da Al-Qaeda faz universidades do Texas e de Dakota do Norte serem evacuada

12h55 – EUA enviam marines ao Iêmen para aumentar a segurança da embaixada contra ataques, de acordo com a rede BBC

12h40 – Veja imagens dos protestos:

[galeria id=4381]

12h30 – Pelo menos 15 mil muçulmanos revoltados com filme realizaram protestos na Caxemira nesta sexta-feira, 14. Eles queimaram bandeiras dos Estados Unidos e chamaram o presidente Barack Obama de “terrorista”. O principal clérigo do governo também teria exigido que os norte-americanos deixassem imediatamente a região, controlada pela Índia.

12h25 – Protestos contra filme atingem outras embaixadas nesta sexta-feira, 14. Dezenas de manifestantes invadiram as embaixadas do Reino Unido e da Alemanha no Sudão. As pessoas escalaram o muro dos locais e ficaram na parte externa dos edifícios. As bandeiras alemã e britânica foram retiradas das embaixadas e substituídas por uma bandeira preta com os dizeres “não há outro Deus que não Alá e Maomé é seu profeta”.

12h20 – Oficiais das forças de segurança do Líbano afirmaram que uma pessoa foi morta e outras 25 ficaram feridas em confrontos entre policiais e manifestantes na cidade de Trípoli. Uma multidão colocou fogo em um restaurante da rede KFC e em outro da Arby”s. Os policiais chegaram e dispararam contra os agressores, matando uma pessoa. Leia mais

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: