As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Babuínos-snipers, a nova arma secreta do Taleban

Ricardo Chapola

14 de julho de 2010 | 01h00

Fonte: Flickr.com

As pedregosas trincheiras do Afeganistão nunca mais serão as mesmas – e isso não tem nada a ver com os 30 mil soldados adicionais que Obama decidiu para lá mandar. Constatando que o homem-bomba tornou-se obsoleto, o estado-maior do Taleban desenvolveu o babuíno-sniper. Sim, os estrategistas/jihadistas deram uma banana aos ultramodernos aviões não-tripulados dos EUA – trocadilho infeliz, ok… – e agora contam com inescrupulosos símios armados com Ak’s-47.

A notícia (absolutamente absurda, para quem ainda não entendeu) foi dada “em primeira mão” pela agência estatal chinesa Diário do Povo. Segundo o repórter, o Pentágono já teria até arrumado um codinome para o primata sanguinário: “Macaco terrorista.”

O Diário do Povo analisa o fenômeno:

“The emergence of “monkey soldiers” is the result of asymmetrical warfare. The United States launched the war in Afghanistan using the world’s most advanced weapons such as highly-intelligent robots to detect bombs on roadsides and unmanned aerial vehicles to attack major Taliban targets. In response, the Taliban forces have tried any possible means and figured out a method to train monkeys as “replacement killers” against American troops”

A notícia não pára por aí. A agência de notícias também apurou as origens do “macaco terrorista”. Foi a CIA quem desenvolveu o tal babuino-sniper quando estava embrenhada nas selvas do Vietnã. E, agora, a criatura se volta contra o criador…

Macacos me mordam. (Para não perder o último trocadilho infeliz)

A sacada foi do excelente blog Passport.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.