As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Banda de heavy metal síria foge da guerra

Redação Internacional

19 Janeiro 2016 | 06h00

Ao lado dos 150 mil sírios que tentam obter asilo na Europa para fugir da guerra civil que devasta o país há quase cinco anos, um grupo de jovens tenta retomar a carreira de músicos. Seu som é o heavy metal e seu sonho é voltar a tocar na Síria.

O sírio Adel Saflou cresceu em Idlib, uma das cidades mais afetadas pela guerra. Seu quarto era decorado com pôsteres e livros sobre heavymetal e ele compunha músicas sobre sua vida, as agruras da guerra e a dificuldade de viver em um regime opressivo.

Mesmo com os confrontos entre rebeldes sunitas e tropas do governo Assad, Saflou conseguia fazer com sua banda, a Ambrotype, ao menos um festival por mês na cidade de Aleppo. A cena de heavy metal da cidade contava também com outros grupos. “Tínhamos bastante fãs e a cena estava florescendo. As pessoas estavam felizes e era uma forma de escapismo para muitos, mas no fim tudo foi destruído”, disse ele ao site Middle East Eye.

Um dia, um vizinho lhe contou por telefone que jihadistas invadiram sua casa e encontraram os pôsteres e livros no seu quarto. Disseram que se o encontrassem, cortariam sua cabeça. Sua família disse que ele fugira para se salvar. E ele decidiu fugir.

Como milhares de pessoas, foi para a Turquia e o Líbanom, na tentativa de chegar à Europa. Conseguiu ficar em um abrigo temporário na Holanda, onde tenta reunir a banda.

A história da banda de Saflou é similar à da Acrassicauda, uma banda de heavy metal iraquiana formada durante a ocupação americana que teve de fugir do país durante os anos de conflito sectário entre sunitas e xiitas. O destino da Acrassicauda na época, curiosamente, foi a Síria.

Mais conteúdo sobre:

Heavy metalSíria