Afeganistão radical
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Afeganistão radical

Ricardo Chapola

30 de dezembro de 2009 | 17h49

Fonte: Marko Djurica/REUTERS

Criançada se prepara para entrar no 'Skatistão'. Foto: Marko Djurica/REUTERS

A moda “streetwear” pode ainda estar longe de derrubar as batas e burcas, mas o Afeganistão ganhou hoje sua primeira pista de skate. Seu nome, “Skatistão”.

Na verdade, trata-se de uma espécie de ONG, que busca integrar jovens e crianças em uma sociedade destroçada por décadas de guerra. Os frequentadores podem escolher entre treinar manobras insanas em rampas e canos, ou ter aulas maneiras de computação e literatura. Filhos de ministros ou garotos de rua, meninos ou meninas, os pequenos afegãos participam gratuitamente de todo o projeto, que foi idealizado por dois australianos.

“Quero ser uma skatista profissional no futuro, como meu professor”, diz a menina Mahro, de dez anos. Temendo a ira dos fundamentalistas, que não toleram nenhuma influência estrangeira, o lugar teve a segurança reforçada.

Tudo o que sabemos sobre:

AfeganistãoguerraskateSkatistão

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.