As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Boko Haram: do sequestro de meninas até o cessar-fogo acertado com a Nigéria

Cronologia mostra ações do grupo terrorista, que assinou acordo com governo nigeriano e libertará jovens

Redação Internacional

17 de outubro de 2014 | 16h55

14 de abril: Mais de 200 meninas entre 16 e 18 anos são sequestradas no povoado de Chibok, em Borno

24 de abril: Nigeriana cria abaixo-assinado #BringBackOurGirls pedindo a libertação das meninas

1 de Maio: CNN twitta a petição e sequestro torna-se pauta para os jornalistas da região

3 de maio: A paquistanesa Malala Yousafzai tuíta em apoio à campanha pela libertação das meninas sequestradas

4 de maio: Presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, faz um anúncio afirmando que as meninas serão resgatadas

5 de maio: Boko Haram faz um vídeo reivindicando o sequestro

6 de maio: Presidente americano, Barack Obama, fala em enviar forças especiais de ajuda para encontrar as meninas

7 de maio: Premiê britânico, David Cameron, e o secretário das Relações Exteriores William Hague condenam o sequestro. O governo britânico envia especialistas para ajudar no resgate e a primeira-dama americana, Michelle Obama, apoia a campanha pela libertação das meninas pelo Twitter

9 de maio: A chanceler alemã, Angela Merkel condena o terrorismo do Boko Haram

17 de maio:Presidentes da França e Holanda se reúnem com presidente da Nigéria e conversam sobre o sequestro. Líderes do Chade, Camarões, Nigéria e Benin, em conjunto com os EUA, Grã-Bretanha e União Europeia concordam em compartilhar informações e coordenar medidas para combater o Boko Haram

21 de maio: ONU pede que Nigéria inclua o Boko Haram no grupo de organizações terrotistas

22 de maio: EUA enviam 80 soldados para procurar as meninas nigerianas no Chade

14 de julho: Malala visita parentes das meninas sequestradas e começa a campanha #strongerthan

24 de setembro: Exército nigeriano afirma que líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, está morto. No entanto, vídeo divulgado mostra o militante negando a informação

17 de outubro: O governo da Nigéria anuncia um acordo com Boko Haram para libertar as meninas e estabelecer um cessar-fogo

Tudo o que sabemos sobre:

Boko Haramgrupo terroristaNigéria

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.