Bomba-H, a arma mais destrutiva existente na Terra
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bomba-H, a arma mais destrutiva existente na Terra

Armamento desenvolvido após a 2ª Guerra é centenas de vezes mais poderoso do que as bombas utilizada pelos EUA contra Hiroshima e Nagasaki; Rússia testou a maior bomba H da história

Redação Internacional

06 Janeiro 2016 | 16h21

A bomba de hidrogênio (bomba-H), também chamada de bomba termonuclear, o tipo de armamento que a Coreia do Norte disse ter testado com sucesso nesta quarta-feira, 6, foi desenvolvida depois das armas usada pelos Estados Unidos contra o Japão na 2.ª Guerra e são muito mais destrutivas.

A primeira bomba de hidrogênio, testada em novembro de 1952 pelos EUA, liberou energia equivalente a 10 megatons de TNT, cerca de mil vezes mais do que a bomba atômica lançada contra Hiroshima sete anos antes.

Nuvem de cogumelo da Tsar bomba, bomba de hidrogênio mais poderosa já produzida pelo ser humano

Nuvem de cogumelo da Tsar bomba em foto tirada a 161 km de distância (Foto: Wikipedia)

A bomba de hidrogênio funciona em fases. Primeiro, uma bomba atômica explode dentro da ogiva, agindo como detonador. Ela fornece o calor e a pressão necessários à fusão. Em seguida, uma mistura de isótopos de hidrogênio  – deutério e trítio – se funde, em uma reação termonuclear. Isso libera rapidamente grandes quantidades de energia, provocando uma explosão tremendamente poderosa.

Menos de um ano depois de os EUA testarem sua bomba termonuclear, a União Soviética testou a sua versão do equipamento, iniciando uma corrida para produzir cada vez mais “superbombas”.

A bomba de hidrogênio mais poderosa já detonada até hoje – que também resultou na maior explosão já causada pelo ser humano – foi criada pelos soviéticos em 1961. Conhecida como Tsar Bomba, o armamento liberou o equivalente a 50 megatons de TNT. / DPA