As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Campanhas pedem ajuda para crianças sírias

Redação Internacional

17 de março de 2014 | 10h29

Por Fernanda Simas – O Estado de S. Paulo

Ao completar três anos, a guerra civil síria parece longe de acabar e por isso ONGs continuam realizando campanhas buscando fundos para ajudar os atingidos pelo conflito, principalmente as crianças. Mais de 140 mil pessoas morreram durante a guerra de rebeldes sírios contra o regime do presidente Bashar Assad e um terço da população precisou deixar suas casas: 2,5 milhões fugiram para países vizinhos e 4,2 milhões ficaram na Síria. Quase metade desses desabrigados são crianças.

A penúltima campanha feita pela organização britânica  Save the Children mostra um dia na vida de uma menina inglesa, que de repente se vê no meio de uma guerra, com as mesmas características do conflito sírio. O vídeo teve mais de 25 milhões de acesso e foi compartilhado por milhares de pessoas nas redes sociais.

“Esse vídeo foi feito a partir de cenas reais da Síria e do sofrimento das crianças. A cena que mostra os pais da menina discutindo se vão até o porão onde há suprimento de água foi feita a partir de uma conversa entre um membro de nossa equipe e uma criança síria”, conta a conselheira sênior das campanhas da organização, Andrea Vukovic.

Outro vídeo da Save the Children, divulgado na quinta-feira 13, tem o professor Stephen Hawking narrando frases ditas por crianças sírias. Segundo Andrea, a campanha foi feita para marcar os três anos da guerra civil no país.

Outras organizações também realizam campanhas em prol das crianças sírias. O vídeo da SOS Barnebyer feito na Noruega também se tornou viral na internet. Um menino senta em um ponto de ônibus em um dia frio, sem estar vestindo um casaco. A campanha mostra quantas pessoas que param ali decidem ajudar o menino, entregando algo que está vestindo e termina com a frase “você é uma pessoa que agiria quando visse alguém que precisa de ajuda?”

Tudo o que sabemos sobre:

Bashar AssadSave the ChildrenSíria

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.