Carta de Marx é vendida por US$ 678 mil em leilão na China
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Carta de Marx é vendida por US$ 678 mil em leilão na China

Junto com o documento estava uma fotografia do pensador

Redação Internacional

16 de dezembro de 2014 | 12h42

PEQUIM – Uma carta do filósofo alemão Karl Marx, junto com uma fotografia do pensador, foi vendida por US$ 678 mil em um leilão realizado na China, informou nesta terça-feira, 16, o jornal China Daily.

O lote foi oferecido em um leilão especial de documentos originais dos pioneiros do comunismo realizado na casa Xiling Yinshe da cidade chinesa de Hangzhou (província de Zhejiang, leste do país).

Na fotografia leiloada, é possível ver Marx com os cabelos e a barba longos e envelhecidos, vestido com um traje escuro e uma camisa branca sobre a qual destaca-se um monóculo que leva pendurado ao pescoço, apoiando sobre uma mesa seu braço direito enquanto coloca o dedão na gola de sua jaqueta.

Foto: Reprodução/Xiling Yinshe

Foto: Reprodução/Xiling Yinshe

A carta, vendida na segunda-feira, foi escrita em 2 de junho de 1881 pelo filósofo, que morreu em Londres em 1883 aos 63 anos de idade.

Em razão da saúde debilitada, o intelectual baixou notavelmente sua produção em seus últimos anos de vida. Esta carta é um dos poucos escritos que foram conservados daquea época etapa.

No documento, que ocupa uma página, o autor de “O capital” menciona Friedrich Engels e a mulher dele e se refere aos pensamentos progressistas do século XIX.

A carta assinada por um dos pais do comunismo já foi publicada na versão chinesa das Obras Completas de Marx e Engels e em uma monografia russa sobre o pensador.

Foto: Reprodução/Xiling Yinshe

Foto: Reprodução/Xiling Yinshe

Na República Popular da China, os estudos da obra de Marx e das ideias marxistas são obrigatórios no ensino médio e universitário, já que nelas se inspirou a construção de seu sistema político atual, que entrou em vigor em 1949.

Em um leilão que ocorreu em julho em Xangai, no qual foi colocada à venda outra carta do filósofo alemão, ninguém ofereceu os US$ 1,34 milhão que era pedido para começar os lances. /EFE

 

Tudo o que sabemos sobre:

ChinaKarl Marxleilão