As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cartas de Jackie Kennedy a diplomata britânico que a pediu em casamento são leiloadas por 100 mil libras

Documentos explicam os motivos pelos quais a ex-primeira-dama não quis se casar com David Ormsby Gore

Redação Internacional

29 de março de 2017 | 16h40

LONDRES – As cartas de Jackie Kennedy a um diplomata britânico que a pediu em casamento anos depois do assassinato de seu marido, o ex-presidente americano John F. Kennedy, foram leiloadas em Londres nesta quarta-feira, 29. As peças foram arrebatadas por 100 mil libras (cerca de US$ 124 mil).

A correspondência entre Jackie Kennedy e David Ormsby Gore, embaixador britânico em Washington durante a presidência de Kennedy, explica os motivos pelos quais ela não quis se casar com ele.

“Nós conhecemos tantas coisas juntos, e compartilhamos, e perdemos tanto juntos – embora não seja como você deseje agora – espero que o vínculo de amor e dor não se rompa nunca”, escreveu Jackie a Ormsby Gore após sua proposta de casamento em 1968. “Você é como meu querido, querido irmão – e mentor – e a única personalidade original que conheço, como era para Jack”, acrescentou a ex-primeira-dama.

Ormsby Gore sugeriu a Jackie “um casamento secreto” no verão daquele ano, e confessou em outra carta que a rejeição da viúva era “insuportável”.

Sua mulher morreu em um acidente de carro em 1967 e Jackie, cujo primeiro marido foi assassinado em 1963, lhe escreveu para desejar pêsames. “Faria qualquer coisa para tirar sua angústia”, escreveu ela ao embaixador.

Jackie se casou com o magnata grego Aristóteles Onassis, e explicou as razões a Ormsby Gore na última carta que enviou a ele. “Se algum dia eu encontrar algum consolo e conforto, será com alguém que não fez parte do meu mundo passado e doloroso”.

As 18 cartas de Jackie a Ormsby Gore foram enviadas ao longo de cinco anos – entre o assassinato do presidente, em 1963, e seu casamento com Onassis, em 1968. / AFP