Catador de lixo argentino recebe ligação do papa Francisco
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Catador de lixo argentino recebe ligação do papa Francisco

Maximiliano Roberto Acuña perdeu as duas pernas em um acidente de trânsito enquanto trabalhava; hoje, ele impulsiona uma proposta para que o dia 22 de março seja reconhecido como o Dia do Catador de Lixo

Redação Internacional

18 Julho 2017 | 12h49

BUENOS AIRES – O papa Francisco telefonou para Maximiliano Roberto Acuña, um catador de lixo da Argentina que perdeu as duas pernas em um acidente de trânsito enquanto trabalhava e agora impulsiona uma proposta para que seja declarado um dia para homenagear seus colegas de trabalho.

A ligação foi feita na segunda-feira 17, minutos antes de Acuña ser homenageado em cerimônia na Assembleia Legislativa de Buenos Aires, segundo informou La Alameda, uma ONG liderada pelo legislador Gustavo Vera, amigo pessoal do pontífice.

Segundo Maximiliano Roberto Acuña, o papa Francisco prometeu que da próxima vez que for à Argentina eles se conhecerão (Foto: AFP PHOTO / ANDREAS SOLARO)

Segundo Maximiliano Roberto Acuña, o papa Francisco prometeu que da próxima vez que for à Argentina eles se conhecerão (Foto: AFP PHOTO / ANDREAS SOLARO)

“Vínhamos no carro para a cerimônia na Assembleia Legislativa e tocou o celular. Era um número privado. Pensei que era um colega de trabalho e primeiro perguntei quem falava. ‘O papa Francisco'”, relatou Acuña.

O pontífice decidiu fazer a ligação após ter recebido de Vera um e-mail no qual o amigo contava a história do catador de lixo. “‘Sim, sou o papa Francisco, um amigo (Vera) me enviou uma mensagem e me emocionou a força que você tem'”, contou Acuña, que impulsiona uma proposta para que 22 de março seja reconhecido como o Dia do Catador de Lixo.

Acuña, de 33 anos, vive na periferia de Buenos Aires, tem cinco filhos e teve de amputar as duas pernas no dia 22 de março deste ano, após um carro bater no caminhão de lixo quando ele realizava o trabalho de coleta.

Segundo o relato do catador, o papa prometeu que da próxima vez que for à Argentina eles se conhecerão e conversarão. “Sempre para a frente, você é um exemplo”, disse Francisco a Acuña, que foi homenageado na Assembleia Legislativa de Buenos Aires em uma cerimônia que contou com a presença de 400 catadores.

Na mensagem enviada ao papa, Vera contou que o catador não chorou e trabalha “para continuar mantendo a família” com “bom humor e sendo um exemplo de dignidade e amor à vida”. / EFE

Mais conteúdo sobre:

Papa FranciscoVaticano