Coreia do Norte atrasa relógios em 30 minutos para combater ‘imperialismo japonês’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Coreia do Norte atrasa relógios em 30 minutos para combater ‘imperialismo japonês’

Medida anunciada nesta sexta-feira pela agência oficial KCNA entrará em vigor no dia 15 para marcar 70º aniversário da libertação da Coreia; país será o único 8h30 à frente da hora GMT

Redação Internacional

07 de agosto de 2015 | 10h44

PYONGYANG – A Coreia do Norte anunciou nesta sexta-feira a criação de um fuso horário próprio, com o atraso de seus relógios em 30 minutos para marcar o 70º aniversário da libertação da Coreia do domínio japonês, informou a agência oficial de notícias KCNA nesta sexta-feira, 7.

A Coreia do Norte atualmente está no mesmo fuso horário que os rivais Coreia do Sul e Japão, 9 horas à frente do horário GMT, referência mundial. “A hora de Pyongyang será aplicada a partir de 15 de agosto de Juche 104 (2015)”, disse a KCNA, em referência ao calendário norte-coreano que conta os anos desde o nascimento em 1912 do fundador do país, Kim Il-sung.

O líder-supremo da Coreia do Norte, Jim Jong-un inspeciona uma feira de equipamentos agrícolas em foto sem data divulgada pela agência oficial KCNA

O líder-supremo da Coreia do Norte, Jim Jong-un inspeciona uma feira de equipamentos agrícolas (Foto: KCNA/REUTERS)

A medida significará o retorno ao fuso horário utilizado em toda a Península Coreana antes do domínio japonês – 8h30 horas à frente do horário GMT.

“Os maldosos imperialistas japoneses cometeram crimes tão imperdoáveis, como privar a Coreia até mesmo de sua hora padrão enquanto impiedosamente esmagaram sua terra com 5.000 anos de história e cultura na busca da inaudita política de destruir a nação coreana”, afirma o decreto assinado pelo líder-supremo do país, Kim Jong-un, segundo a KCNA.

A Coreia considerou 127 graus e 30 minutos a leste – a longitude que a KCNA disse que seria usada no novo fuso horário – quando introduziu pela primeira vez o conceito de um fuso horário oficial em 1908.

O Japão governou a Península coreana de 1910 a 1945. Um decreto da metrópole japonesa em 1912 impôs à colônia o horário padrão usado atualmente, definido pela longitude de 135 graus a leste.

Sobre a mudança, a Coréia do Sul afirmou que a medida poderia causar alguns inconvenientes a curto prazo na zona industrial de Kaesong na Coreia do Norte, gerida em conjunto pelas duas Coreias.

“E, a longo prazo, pode haver algumas consequências para os esforços para unificar as normas e reduzir as diferenças entre os dois lados”, disse o funcionário do Ministério da Unificação Jeong Joon-Hee.

Precedentes. Como não existe um organismo internacional que aprova mudanças de fuso horários pelos países, cabe aos próprios governos decidir qual horário seguir.

Em 2011, a Samoa mudou seu fuso horário para o outro lado da linha da data internacional, perdendo um dia, mas facilitando a comunicação com os vizinhos Austrália e Nova Zelândia.

A Coreia do Norte também não é a única ter criado um fuso horário único. Em 2007, a Venezuela também decidiu atrasar seus relógios em 30 minutos, medida justificada pelo então presidente Hugo Chávez como uma forma de o país ter “uma distribuição mais justa dos raios solares”. A medida transformou o país no único a estar 4h30 horas atrás do horário GMT.

Índia e Mianmar também ter regiões em fusos horários fora do padrão. / REUTERS e EFE

Tudo o que sabemos sobre:

Coreia do NorteKim Jong-unPyongyang