Cronologia: 40 dias de crise política na Venezuela
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cronologia: 40 dias de crise política na Venezuela

Redação Internacional

04 de março de 2019 | 20h38

23 de janeiro de 2019:
Juan Guaidó se declara presidente interino, após o Congresso considerar a reeleição de Nicolás Maduro de fraudulenta.Venezuela rompe relações diplomáticas com os EUA, após Washington reconhecer Guaidó.

Juan Guaido, President of the Venezuelan National Assembly and lawmaker of the opposition party Popular Will (Voluntad Popular), gestures while he arrives to a gathering in La Guaira, Venezuela January 13, 2019. REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Juan Guaidó declara-se presidente interino da Venezuela. FOTO: REUTERS/Manaure Quintero

24:
Exército renova seu apoio a Maduro.

26:
No Conselho de Segurança da ONU, EUA pedem a todos os países que apoiem o líder opositor. Rússia e China bloqueiam projeto americano. Opositores oferecem anistia aos militares que se rebelarem contra maduro.

28:
EUA sancionam a estatal PDVSA e dão a Guaidó o controle de ativos e contas venezuelanas no país.

29:
Tribunal Supremo de Justiça proíbe Guaidó de sais da Venezuela e congela suas contas.

1 de fevereiro:
Washington reitera que “todas as opções estão sobre a mesa” para restaurar a democracia na Venezuela.

4:
Mais de 20 países europeus reconhecem Guaidó após o fim do ultimato para maduro convocar eleições livres.

7:
Um carregamento de remédios e alimentos enviado pelos EUA chega à cidade colombiana de Cúcuta, cuja fronteira com a Venezuela é fechada por Maduro.

8:
Maduro fecha o tráfego aéreo e marítimo com Curaçao, outro centro de ajuda humanitária.

21:
Governo venezuelano fecha a fronteira com o Brasil, onde também há ajuda armazenada.

22:
Megaconcerto em Cúcuta em apoio aos venezuelanos. Maduro fecha outras quatro pontes fronteiriças com a Colômbia.

23:
Distúrbios entre as fronteiras da Venezuela com Colômbia e com Brasil terminam com sete mortos e centenas de feridos. Venezuela rompe relações com a Colômbia.

Confronto na fronteira da Venezuela com o Brasil – FOTO DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

25:
Guaidó participa em Bogotá de reunião do Grupo de Lima.

28 a 3 de março:
Guaidó parte da Colômbia e inicia visitas a Brasil, Paraguai, Argentina e Equador.

4:
Guaidó retorna à Venezuela, apesar das ameaças de prisão.

Juan Guaidó fala a multidão em Caracas após retornar do exterior, apesar de ameaça de prisão. Foto: REUTERS/Manaure Quintero