As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cronologia: dois meses de crise política na Itália

Redação Internacional

24 de abril de 2013 | 17h03

25 de fevereiro: Após as eleições gerais, apesar da vitória do Partido Democrático, nenhum partido tem maioria para formar governo no Parlamento

26 de fevereiro: Pier Luigi Bersani, líder do PD, fracassa em tentativa de formar coalizão com o Movimento 5 Estrelas, de Beppe Grillo

2 de março: Com o mandato no final, presidente Giorgio Napolitano é impedido de dissolver Parlamento e convocar nova eleição

4 de março: Bersani dá ultimato a Beppe Grillo para aceitar coalizão e impedir novas eleições

15 de março: Congressistas se reúnem pela primeira vez desde a eleição, sem chegar a consenso sobre governabilidade

28 de março: Bersani diz que condições para formar gabinete são inaceitáveis e desiste de negociações

3 de abril: A escolha do novo presidente é antecipada em um mês para permitir que Napolitano tenha margem de manobra para convocar eleições parlamentares

12 de abril: O ex-premiê Silvio Berlusconi diz que apoiarpa governo da esquerda em nome da “unidade nacional”

22 de abril: Partidos superam impasse e concordam em reeleger Napolitano

23 de abril: Reeleito, Napolitano se emociona ao pedir que partidos deixem diferenças de lado para encerrar crise

24 de abril: Napolitano indica  Enrico Letta, vice-líder do PD, para formar o gabinete e pôr fim à crise

Tudo o que sabemos sobre:

Itália

Tendências: