Da espionagem à política
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Da espionagem à política

Redação Internacional

23 de março de 2011 | 19h12

Por José Orenstein

 

A ex-espiã Anna Chapman pode ganhar posição de ainda mais destaque no ala jovem do maior partido russo, o Rússia Unida, que tem nas suas fileiras o poderoso ex-presidente e atual primeiro minsitro Vladimir Putin. Ela foi nomeada nesta terça-feira para o principal cargo do conselho do grupo. As informações são do site de notícias news. ru (em russo).

A fama sorriu para Chapman quando, em julho de 2010, autoridades americanas desarticularam uma rede de espiões russos, que depois foram deportados para Moscou. Chapman desde então tem a entrada em território americano proibida.

Mas o rosto da moça de cabelos vermelhos e 28 anos se fez conhecido pelo mundo. A ex-agente secreta tipo ‘femme-fatale’ – ou seria Bond-girl? – teve que abandonar o trabalho em Wall Street, mas capitalizou o sucesso e já aufere lucros no campo político – e também no do show business. 

Champan já posou para fotos sensuais em uma revista masculina, virou bonequinho de uma empresa americana, apresenta programa de curiosidade e bizarrices na TV russa e é consultora de um banco de investimento. Ela ainda fez uma aparição no lançamento de uma nave espacial russa. 

Recentemente, a ex-espiã lançou um site  – todo em russo também (para não se perder, o link direto da galeria de fotos). Apesar de toda a fama que o status de agente secreta lhe conferiu, a russa nunca admitiu publicamente ter atuado como espiã no EUA.

Tudo o que sabemos sobre:

Anna ChapmanespionagemRússia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.