Datas que marcaram os 11 anos de Raúl Castro no poder
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Datas que marcaram os 11 anos de Raúl Castro no poder

Raúl Castro chegou à presidência cubana em julho de 2006 após crise de saúde de Fidel; entre reformas e renovações, destaca-se o pronunciamento conjunto com Barack Obama, em dezembro de 2014, quando os dois países retomaram laços diplomáticos

Redação Internacional

09 Março 2018 | 17h28

HAVANA – Depois de meio século de poder absoluto de Fidel Castro, seu irmão Raúl Castro, que o substituiu em 2006, tentou reformar gradualmente o modelo econômico cubano nos últimos 11 anos, preservando “as conquistas do socialismo”.

Fidel Castro sai de cena

– Julho de 2006
Uma repentina crise de saúde obriga Fidel Castro a delegar o poder ao seu irmão mais novo, Raúl, número dois do regime e ministro das Forças Armadas desde 1959.

Raúl Castro (D) e Hugo Chávez (C) visitam Fidel dias depois da crise de saúde que o obrigou a deixar o poder pela primeira vez desde a Revolução de 1959 (REUTERS/Estudios Revolucion-Granma)

Raúl Castro (D) e Hugo Chávez (C) visitam Fidel dias depois da crise de saúde que o obrigou a deixar o poder pela primeira vez desde a Revolução de 1959 (REUTERS/Estudios Revolucion-Granma)

– Agosto de 2006
Raúl Castro oferece normalizar as relações com os Estados Unidos “em um plano de igualdade”. Cuba e Estados Unidos romperam relações diplomáticas em 1961 e o embargo econômico, imposto à ilha um ano depois, ainda está em vigor.

– Fevereiro de 2008
Raúl Castro assume formalmente a presidência.

O que mudou em Cuba sob o governo de Raúl Castro

Primeiras reformas

– Julho de 2008
Um decreto autoriza os agricultores particulares a receberem terras ociosas em usufruto. O setor agrícola é declarado “estratégico”, com o objetivo de reduzir as importações.

– Maio de 2009
Havana aceita reabrir as negociações com Washington sobre imigração e correio postal direto, depois que Barack Obama levanta restrições sobre o envio de remessas de cubano-americanos à ilha.

Raúl Castro participa de evento marcando o 56º aniversário do assalto ao quartel Moncada (REUTERS/Enrique De La Osa)

Raúl Castro participa de evento marcando o 56º aniversário do assalto ao quartel Moncada (REUTERS/Enrique De La Osa)

– Julho de 2010
O governo autoriza a libertação de presos políticos após a mediação da Igreja católica. Um total de 130 são soltos e a maioria vai para o exílio na Espanha.

– Outubro de 2010
O trabalho privado se amplia a 181 ofícios.

Abertura econômica e política

– Abril de 2011
Raúl Castro assume todo o poder substituindo Fidel, que renuncia à direção do Partido Comunista Cubano (PCC). O Sexto Congresso do PCC aprova 300 medidas relacionadas à abertura do setor privado, a redução de empregos no setor estatal, a autogestão das empresas públicas e a descentralização do aparato estatal. Também autoriza a compra e venda de casas e automóveis.

– Janeiro de 2013
É eliminado o “visto de saída” para viajar ao exterior.

– Fevereiro de 2013
Raúl Castro é reeleito para um último mandato presidencial de cinco anos. O posto de número dois é ocupado, pela primeira vez em meio século, por uma pessoa que não participou da revolução de 1959: Miguel Díaz-Canel, nascido em 1960 e chamado a suceder os Castro.

Raúl vota em sessão da Assembleia Nacional; em fevereiro de 2013, ele foi eleito para seu último mandato à frente de Cuba (REUTERS/Ismael Francisco/Courtesy of Cubadebate)

Raúl vota em sessão da Assembleia Nacional; em fevereiro de 2013, ele foi eleito para seu último mandato à frente de Cuba (REUTERS/Ismael Francisco/Courtesy of Cubadebate)

– Março de 2014
Cuba aceita uma proposta de diálogo da União Europeia (UE), que abre caminho para a normalização das relações com o bloco, suspensas em 2003 após uma onda repressiva contra a oposição.

– Julho de 2014
Vladimir Putin anula 90% da dívida de US$ 31,7 bilhões contraída por Cuba com a antiga URSS.

Aproximação histórica

– 17 de dezembro de 2014
Anúncio histórico de aproximação com os Estados Unidos.

Raúl e Obama fazem histórico pronunciamento conjunto anunciando a retomada dos laços diplomáticos entre Cuba e EUA (AP Photo)

Raúl e Obama fazem histórico pronunciamento conjunto anunciando a retomada dos laços diplomáticos entre Cuba e EUA (AP Photo)

– 15 de janeiro de 2015
Estados Unidos decidem facilitar as viagens e o comércio com Cuba, nos limites das prerrogativas de Barack Obama, para atenuar o efeito do embargo.

– 29 de maio de 2015
Washington retira Cuba de sua lista negra de países que “patrocinam o terrorismo”.

– 20 de julho de 2015
Cuba e Estados Unidos restabelecem relações diplomáticas e reabrem suas embaixadas.

– 26 de setembro de 2015
Raúl Castro exige o levantamento do embargo, em seu primeiro discurso nas Nações Unidas.

– 1º de fevereiro de 2016
É recebido na França em visita de Estado – a primeira de um líder cubano em 21 anos – que consagra a normalização de relações com a Europa.

– 20 de março de 2016
Visita histórica a Havana de Barack Obama, primeiro presidente dos Estados Unidos a pisar em Cuba depois da revolução de 1959.

– 22 de Junho de 2016
Raúl intermedeia o aperto de mãos entre o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos e o líder das Farc, Rodrigo Londoño, o Timochenko que marcou a implementação de um cessar-fogo bilateral e definitivo

Raúl Castro: a outra revolução em Cuba chega aos dez anos

– 25 de novembro de 2016
Morre, aos 90 anos, Fidel Castro.

– 28 de dezembro de 2016
Abalada pela crise da Venezuela, Cuba entrou em recessão pela primeira vez em mais de duas décadas, ao registrar uma queda de 0,9% do PIB em 2016, após um crescimento de 4,4% no ano anterior.

Despedida

– 1º de maio de 2017
Milhões de cubanos marcharam no 1º de Maio, o último com Raúl Castro à frente do governo, para proclamar lealdade ao socialismo

Raúl celebra em 2017 o 164º aniversário de nascimento do herói da independência cubana, José Martí (REUTERS/Alexandre Meneghini)

Raúl celebra em 2017 o 164º aniversário de nascimento do herói da independência cubana, José Martí (REUTERS/Alexandre Meneghini)

– 16 de junho de 2017
O presidente americano, Donald Trump, condiciona o levantamento das sanções à abertura política na ilha, anunciou restrições a viagens e gastos em Cuba e retomou a retórica hostil que dominou a relação bilateral por quase seis décadas

Reformas travam um ano após morte de Fidel

– 5 de setembro de 2017
Reunidos em vários pontos do país, os cubanos começaram a propor seus candidatos aos vereadores, primeira etapa do processo eleitoral que terminará com a escolha do sucessor de Raúl Castro. / AFP

Mais conteúdo sobre:

CubaRaúl Castro