Dez vítimas emblemáticas da onda de protestos na Venezuela
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Dez vítimas emblemáticas da onda de protestos na Venezuela

A onda de protestos contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, já deixou um total de 103 mortos em quatro meses

Redação Internacional

22 Julho 2017 | 05h00

 

David Jose Vallenilla foi baleado em uma base militar em junho. Foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

6 de abril
Jairo Ortiz
Universitário de 19 anos, foi a primeira vítima ao receber um tiro no peito durante manifestação na periferia de Caracas.

19 de abril
Almelina Carrillo
Atingida na cabeça por uma garrafa de água congelada lançada por opositores durante marcha chavista em Caracas. Morreu aos 47 anos, cinco dias depois.

26 de abril
Juan Pablo Pernalete
Morreu aos 20 anos durante protesto na capital após ser atingido por uma bomba de gás lacrimogêneo da Guarda Nacional.

3 de maio
Armando Cañizales
Violinista, 18 anos, foi baleado em manifestação em Caracas.

27 de maio
Danny Subero
Militar da reserva, 34 anos, morreu linchado por multidão que o acusava de ser um “infiltrado” em manifestação da  oposição.

3 de junho
Orlando Figuera
Aos 21 anos, foi esfaqueado e queimado durante protesto em Caracas.

7 de junho
Neomar Lander
Jovem de 17 anos morreu após explosão de uma bomba durante confronto em Caracas.

20 de junho
Fabián Urbina
Foi morta aos 17 anos por disparos de agentes da Guarda Nacional.

22 de junho
David Vallenilla
Aos 22 anos, foi morto por tiros a queima roupa disparados por um militar diante de uma base em Caracas.

16 de junho
Xiomara Scott
Enfermeira de 61 anos foi morta por motociclistas durante votação do plebiscito da oposição.