Em Porto Rico, cenário de ‘Despacito’ foi arrasado por furacão Maria
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Em Porto Rico, cenário de ‘Despacito’ foi arrasado por furacão Maria

Luis Fonsi, cantor do hit, compartilhou foto em sua conta no Instagram comparando o bairro costeiro La Perla, onde foram gravadas cenas do clipe da música, antes e depois da passagem do fenômeno

Redação Internacional

26 Setembro 2017 | 13h41

O cantor porto-riquenho Luis Fonsi, que alcançou o estrelato neste ano com o lançamento do hit Despacito, publicou uma imagem em sua conta no Instagram mostrando a destruição deixada pela passagem do furacão Maria pelo país.

A foto faz uma comparação de como era e como ficou a região costeira de La Perla, bairro tradicional da capital porto-riquenha, San Juan, e um dos mais procurados destinos turísticos do país desde que Fonsi e Daddy Yankee gravaram nesta região cenas do clipe da música.

Esto me rompe el corazón en tres pedazos. Nos vemos pronto Puerto Rico, we got your back. Nos vamos a levantar 🇵🇷🙏🏽

Uma publicação compartilhada por Luis Fonsi (@luisfonsi) em

“(Ver esta cena) parte meu coração em três partes. Nos vemos em breve Porto Rico, nós te apoiamos. Nós vamos nos levantar”, escreveu Fonsi na legenda da imagem que, até a tarde desta terça-feira, teve mais de 217 mil curtidas e 4 mil comentários.

Fonsi tem compartilhado em sua conta no Instagram, seguida por mais de 5 milhões de pessoas, diversas imagens pedido ajuda para Porto Rico e destacando os esforços dos voluntários que ajudam os moradores da ilha.

Nesta terça-feira, alguns pequenos restaurantes e comércios que não tiveram o fornecimento de energia interrompido pelo furacão, conseguiram reabrir as portas. Nos supermercados e nos postos de combustíveis abertos na capital do país, as filas são enormes – o fornecimento de água potável, gelo e gasolina ainda continuam sob racionamento.

“Muitas casas ainda estão sem teto, muitas árvores estão caídas e os postes de luz continuam no chão”, disse Ángel Marcano, um trabalhador social de 45 anos morador de La Perla. “Já tive, já fiquei angustiado, já passei raiva. Agora temos que arregaçar as mangas e trabalhar para recuperar o bairro e as comunidades.” / COM AFP