Europa recebe primeiro museu de esculturas subaquáticas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Europa recebe primeiro museu de esculturas subaquáticas

Criado pelo artista britânico Jason deCaires Taylor, Museo Atlantico fica 15 metros abaixo do mar em Lanzarote, ilha mais oriental do arquipélago das Canárias

Redação Internacional

12 de fevereiro de 2016 | 10h37

Em Lanzarote, a ilha mais oriental do arquipélago das Canárias, o artista britânico Jason deCaires Taylor instala as esculturas que farão parte do primeiro museu subaquático da Europa, com obras a cerca de 15 metros abaixo do nível do mar.

O Museo Atlantico, que levou cerca de dois anos para ficar pronto, custou cerca de € 700 mil e foi totalmente financiado pelo governo local, que destinará 2% dos lucros gerados pelo local para pesquisas na área ecológica.

Museo Atlantico, com obras 15 metros abaixo do nível do mar, em Lanzarote, nas ilhas canárias

Museo Atlantico, com obras 15 metros abaixo do nível do mar, em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (Foto: Reprodução/underwatersculpture.com)

Entre as estátuas feitas em cimento marinho com pH neutro – que não altera a composição química local – estão um bote com 13 refugiados, batizada pelo artista de A balsa de Lampeduza (uma releitura da obra A Balsa da Medusa, de Théodore Géricault), um casal sem rosto fazendo uma selfie e várias pessoas com seus celulares colados ao corpo – algumas também seguram um iPad como se tirassem uma foto.

Quando estiverem na posição final, todas as estátuas estarão de frente para uma grande parede, que simbolizará a entrada de uma cidade – um ponto sem volta na história. O artista planeja ainda fazer uma fonte subaquática, instalar iluminação no local e também um espelho gigante, que refletiria como uma grande “piscina” no oceano.

“Na maior parte do tempo nós olhamos para além do oceano, do horizonte. (Debaixo da água) as pessoas podem imaginar muito mais porque não estão presas à gravidade”, disse Taylor em entrevista ao jornal britânico The Guardian. “Além disso, como se está em contato com a água o tempo todo, há quase que uma conexão física entre visitante e exposição.”

O Museo Atlântico não é, no entanto, a primeira iniciativa com estátuas de baixo da água feita por Taylor. Em 2006, ele instalou obras em uma profundidade de 5 a 7 metros em Molinière Bay, na costa de Granada, no mar do Caribe. Cerca de um ano atrás, Taylor colocou no mar das Bahamas aquela que é considerada a maior escultura submarina do mundo: um atlas mundial de quase 5 metros e pesando 40 toneladas.

Além disso, em 2009 o britânico criou em Cancún, no México, o Museo Subacuático de Arte (Musa) – o primeiro do tipo no mundo -, que tem mais de 500 estatuas e cujo objetivo é afastar dos recifes naturais da área parte dos mais de 750 mil turistas que visitam anualmente a região.

Museo Atlantico, com obras 15 metros abaixo do nível do mar, em Lanzarote, nas ilhas canárias - 2

Tudo o que sabemos sobre:

EuropaMuseo Atlanticomuseu