Falta de batatas leva McDonald’s a servir mandiocas fritas na Venezuela
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Falta de batatas leva McDonald’s a servir mandiocas fritas na Venezuela

Restaurantes da rede de fast food também oferecem saladas e mini-arepas como alternativas para os clientes

Redação Internacional

06 de janeiro de 2015 | 16h14

Os restaurantes da rede McDonald’s na Venezuela estão substituindo as batatas fritas por alternativas como porções de mandiocas fritas, saladas ou mini-arepas (salgado típico do país). As mais de 100 franquias da rede de fast food deixaram de receber carregamentos das fritas congeladas que chegavam dos Estados Unidos.

Os donos dos restaurantes venezuelanos da rede afirmam que a situação é provocada por um impasse entre empregadores e trabalhadores portuários na Costa Oeste americana. Os operários estariam se recusando a realizar os embarques do produto em retaliação.

Lanche do McDonald's servido com mandioca frita no lugar das tradicionais fritas

Lanche do McDonald’s servido com mandioca frita no lugar das tradicionais fritas

 

A população venezuelana, no entanto, não acredita na explicação e atribui a falta do petisco à crise que se aprofunda a cada dia no país. “A culpa é da situação daqui, que é uma dêbacle total”, afirmou Maria Guerreiro, uma das clientes do McDonald’s na capital, Caracas. Maria foi ao restaurante com a família para comprar um Mc Lanche Feliz para a filha, mas desistiu quando foi informada de que as batatas precisariam ser substituídas. 

A caixa especial para crianças vendida pela rede de fast food na Venezuela pode ser a mais barata e a mais cara do mundo, a depender do câmbio utlizado para a conta. Pela taxa de conversão de 6,30 bolívares por dólar – a faixa de cotação oficial oficial mais baixa -, o Mc Lanche Feliz custa o equivalente a US$ 27. Pelo câmbio paralelo amplamente utilizado no país, hoje cotado a 175 bolívares por dólar, no entanto, a refeição sai por US$ 0,90.

John Toaspern, diretor de marketing da associação US Potato Board, que representa os interesses dos produtores de batatas, afirmou que as importações venezuelanas do produto, de fato, caíram bruscamente durante o ano passado. De acordo com Toaspern, nos dez primeiros meses de 2014, a Venezuela comprou apenas 14% do volume que importou no mesmo período do ano anterior.

Em nota, o McDonald’s disse que está tentando solucionar o problema da falta de batatas fritas nas lojas da Venezuela e que, enquanto isso não ocorre, continuará “proporcionando a experiência McDonald’s aos clientes com alternativas 100% venezuelanas”.

Hannah Dreier / AP

 

Tudo o que sabemos sobre:

escassezMcDonald'sVenezuela