As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

FOTO DO DIA: Debaixo de chuva, argentinos pedem justiça 17 anos após atentado em Buenos Aires – o pior da América Latina

Patrícia Ferreira

18 de julho de 2011 | 19h36

amia1_efe.jpg

Integrantes da comunidade judaica de Buenos Aires, na Argentina, participam nesta segunda-feira, 18, de ato em memória aos dezessete anos desde que 85 pessoas foram mortas no pior atentado terrorista que a América Latina já sofreu. Às 9h53 da manhã do dia 18 de julho de 1994 um carro-bomba explodiu diante da sede da principal entidade judaica do país, a Amia (Asociación Mutual Israelita Argentina).

Veja também:
linkArgentinos lembram 17 anos de ataque contra Amia e pedem justiça
blog ARIEL PALACIOS: Zero culpado condenado: o atentado contra a AMIA

Além dos 85 mortos, centenas de pessoas ficaram feridas. Ano após ano, os familiares das vítimas – judeus e não judeus – pedem Justiça, como fizeram nesta segunda. Como relata o correspondente do estadão.com.br em Buenos Aires Ariel Palacios, o então presidente Carlos Menem prometeu punir os responsáveis. “Desta vez pegaremos os culpados”, ele disse em 1994.

“As palavras de Menem jamais foram cumpridas. Nem por ele, nem por seus sucessores”, escreve Palacios. No fim de semana, a chancelaria do Irã – país acusado de envolvimento no ataque – disse que Teerã está “preparado para cooperar com a Argentina” para esclarecer o atentado.

Pouco mais de dois anos antes, em 1992, um outro atentado, contra a Embaixada israelense em Buenos Aires, deixara 29 mortos e 242 feridos.

mais imagens Seleção de imagens: Natália Russo, da editoria de Fotografia do estadão.com.br e Bia Rodrigues, da editoria de especiais. Visite também o blog Olhar sobre o mundo e a página de fotos do portal.

Siga o @inter_estadão, o Twitter da editoria de internacional do estadão.com.br

Tudo o que sabemos sobre:

AMIAArgentinaBuenos Airesterrorismo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.