As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Hillary encontra líder da oposição israelense em Washington

Luiz Raatz

10 de dezembro de 2010 | 19h41

Em um dia marcado por negociações indiretas com palestinos e israelenses em Washington, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, se reuniu com a líder da oposição israelense, Tzipi Livni.

O encontro acontece dias depois dos EUA desistirem de tentar convencer o primeiro-ministro Benjamin Netayahu, rival político da líder do Kadima, a congelar a construção de assentamentos na Cisjordânia. Desde a retomada na expansão, no final de setembro, os palestinos abandonaram as negociações diretas de paz.

De acordo com o jornal Haaretz, é a primeira vez que Hillary se encontra com Livni desde a posse de Bibi, em fevereiro do ano passado. Ainda segundo o diário, não está claro se a reunião é uma mensagem da insatisfação americana com o premiê, mas certamente o líder do Likud ficará descontente com o episódio.  O  Haaretz informou ainda que a reunião que Hillary teve ontem com o chefe dos negociadores israelenses, Isaac Molho, foi descrita como ‘ruim’.

Os EUA propuseram a Netanyahu benefícios militares e diplomáticos em troca de um novo congelamento de dois meses. O gabinete de Bibi, formado por ministros de partidos defensores dos assentamentos, como o Shas e o Israel Beteinu, hesitou em aprovar a oferta.

Nas eleições de 2009, realizadas após a renúncia do ex-premiê Ehud Olmert, envolvido em denúncias de corrupção, o Kadima  elegeu mais deputados, mas o Likud acabou formando o governo com uma coalizão composta por legendas da direita e pelos trabalhistas, que até então faziam parte da coalizão de Livni.

Sem o apoio dos partidos pró-colonos, Netanyahu provavelmente perderia a maioria necessária para governar e seria obrigado a convocar novas eleições.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.