Homem envia mensagens para mãe antes de morrer em massacre em Orlando
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Homem envia mensagens para mãe antes de morrer em massacre em Orlando

Mina Justice relata desespero do filho, que clamava por ajuda, enquanto estava trancado no banheiro da casa noturna onde um atirador fez 49 vítimas mortais

Redação Internacional

13 Junho 2016 | 11h59

O atentado a uma casa noturna em Orlando, na Flórida, frequentada pelo público LGBT – que deixou 50 mortos e 53 feridos – foi cometido por Omar Mateen. Embora muitas pessoas tenham conseguido escapar, outras tiveram um destino trágico.

Por cerca de três horas, enquanto o atirador fazia diversas pessoas de reféns, outras tentavam se esconder nos banheiros e nas saídas de ar-condicionado.

Mina Justice mostra em seu celular as últimas mensagens de texto recebidas do filho

Mina Justice mostra em seu celular as últimas mensagens de texto recebidas do filho (Imagem cedida por Mina Justice / via AP)

Uma mulher se escondeu em um banheiro e conseguiu sobreviver pois se cobriu com os corpos de algumas vítimas que já haviam sido mortas no local.

Outros jovens – presos, chocados e assustados – enviavam mensagens aos seus parentes pedindo ajuda. Segundo informações da rede CNN, Eddie Jamoldroy Justice, contador de 30 anos, procurou se esconder em um dos banheiros, de onde enviou para sua mãe mensagens desesperadoras:

Mamãe, te amo

Estão atirando na boate

Preso no banheiro

Chame a polícia

Vou morrer

A mãe de Justice, Mina Justice, tentava tranquilizá-lo dizendo que ela já havia ligado para o serviço de emergência (911) e que a ajuda estava chegando:

Ligando para eles agora

Ainda está aí?

Responda o seu celular

Me ligue

Me ligue

Alguns minutos depois, Justice respondeu às mensagens da mãe:

Ligue para eles mamãe

Agora

Ainda estou no banheiro

Ele está chegando

Vou morrer

Esta foi a última mensagem que Mina recebeu de seu filho. Eddie Jamoldroy Justice estava entre as 49 pessoas que não sobreviveram ao ataque do atirador.