Keith Palmer, policial britânico que deu a vida para proteger ‘o coração da democracia britânica’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Keith Palmer, policial britânico que deu a vida para proteger ‘o coração da democracia britânica’

Trabalhando há 15 anos no grupamento responsável pela segurança do Parlamento, Palmer foi esfaqueado pouco antes de o terrorista ser morto; ele foi descrito como um 'amigo amável'

Redação Internacional

23 de março de 2017 | 16h38

O policial Keith Palmer, de 48 anos, estava desde 2002 no Comando de Proteção Parlamentar e Diplomática, e patrulhava o prédio do Parlamento britânico quando foi esfaqueado mortalmente por Khalid Masood.

“Ele era uma pessoa que saiu de casa hoje (quarta-feira) para trabalhar esperando voltar para casa no fim de seu turno. E ele tinha todo o direito de esperar que isso ocorresse”, afirmou o comissário da polícia londrina, Mark Rowley.

O policial britânico Keith Palmer foi morto a facadas do lado de fora do Parlamento (EFE/Facundo Arrizabalaga)

O policial britânico Keith Palmer foi morto a facadas do lado de fora do Parlamento (EFE/Facundo Arrizabalaga)

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, disse que Palmer foi morto enquanto bravamente cumpria com seu dever – proteger a cidade e o coração da democracia britânica “das pessoas que tentam destruir nossa forma de viver”.

James Cleverly, político britânico, escreveu em sua conta no Twitter que serviu na Artilharia Real ao lado de Palmer, a quem descreveu como “um homem amável, um amigo”.

Nesta quinta-feira, a Polícia Metropolitana informou que o número do distintivo de Palmer deixará de ser utilizado como uma forma de homenageá-lo. / NYT

Tudo o que sabemos sobre:

Keith PalmerLondresterrorismo