Kerry será o primeiro chefe da diplomacia americana a visitar Cuba desde 1945
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Kerry será o primeiro chefe da diplomacia americana a visitar Cuba desde 1945

Nesta sexta-feira, 14, o Secretário de Estado americano comandará a cerimônia de içamento da bandeira na nova embaixada em Havana, se encontrará com o chanceler cubano e com dissidentes

Redação Internacional

14 de agosto de 2015 | 09h34

Quando chegar em Havana nesta sexta-feira, 14, o Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, entrará para a história como o primeiro chefe da diplomacia americana a viajar a Cuba desde 1945 – na ocasião, o então secretário de Estado Edward Stettinius Jr. fez uma rápida visita de menos de 24 horas a ilha.

A chegada de Kerry na capital cubana está prevista para às 9h35 (horário de Brasília). Pouco mais de uma hora depois, às 11 horas, o secretário de Estado comandará a cerimônia de içamento da bandeira americana no prédio da embaixada americana em Havana, pondo fim a este importante capítulo na retomada plena das relações diplomáticas entre os dois países.

Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, acena ao embarcar no avião oficial a caminho de Havana

Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, acena ao embarcar no avião oficial a caminho de Cuba (Foto: PABLO MARTINEZ MONSIVAIS/AFP)

Para aumentar ainda mais o simbolismo do momento, os mesmo três ex-soldados que há 54 anos removeram a bandeira americana do prédio foram designados para, desta vez, hastear o estandarte americano. O porta-voz do Departamento de Estado, John Kirby, disse na quinta-feira que a visita de Kerry, a reabertura oficial da embaixada em Cuba e o içamento da bandeira farão parte de “um dia histórico”.

Além da cerimônia no prédio da embaixada, Kerry terá um encontro com dissidentes cubanos na residência oficial do embaixador americano em Havana – longe dos holofotes da imprensa – e outro com o chanceler cubano Bruno Rodríguez – depois desta reunião, os dois darão uma entrevista coletiva.  / AFP

 

Tudo o que sabemos sobre:

#UsCubaCubaEUAJohn Kerry