As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Líder muçulmano libanês defende comunidades cristãs no Oriente Médio

Cristiano Dias

31 de julho de 2010 | 07h22

O partido governista do Líbano fez um raro apelo para que as comunidades cristãs no Oriente Médio sejam salvas. O pedido foi feito por Ahmed Hariri, secretário-geral do movimento Futuro, em meio a um grande êxodo de cristãos da região. Hariri, que é muçulmano, se disse “extremamente preocupado com a repercussão da imigração de cristãos de alguns países do Oriente Médio”.

Falando esta semana em uma conferência que marcou a fundação do movimento Futuro, em Beirute, ele disse que incentivar a presença cristã no Oriente Médio é uma responsabilidade não só de árabes e muçulmanos, mas também dos próprios cristãos.

O comentário de um dos principais líderes muçulmanos do Líbano ocorre em meio a uma crescente preocupação com o crescimento da influência xiita no país. Desde as eleições parlamentares de 2009, o Futuro, liderado pelo premiê Saad Hariri, governa em uma coalizão entre forças pró-Ocidente e o Hezbollah.

“A demografia sempre esteve ligada à política libanesa”, disse o cientista político Eugene Sensenig-Dabbous, da Universidade Notre Dame, do Líbano. “Sunitas, drusos e cristãos estão preocupados com o crescimento da população xiita no país. Os cristãos jamais serão maioria novamente, mas ainda têm aspirações de poder e são os principais parceiros da coalizão de Hariri.”

Tendências: