Live blogging: protestos no Equador
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Live blogging: protestos no Equador

Luiz Raatz

30 de setembro de 2010 | 14h25

Policiais e militares ocuparam quartéis e o aeroporto de Quito nesta quinta-feira, 30, em protesto a um projeto de lei que reforma o funcionalismo público. Acompanhe em tempo real os desdobramentos das manifestações.  Está no Equador? Mande relatos do clima nas ruas para o nosso twitter (@inter_estadao).

23:45 – Rafael Correa discursa no balcão do Palácio Carondelet, em Quito. Ele saiu do hospital onde era mantido preso por militares rebelados e no momento ele discursa para milhares de simpatizantes que estão na frente da sede do governo equatoriano

23:35 O presidente do Equador, Rafael Correa, saiu do hospital em meio a uma confusão no lado externo, onde acontece um tiroteio entre militares simpatizantes e policiais rebeldes, informa a televisão estatal. A emissora de televisão apresentou imagens de um carro em que supostamente viajava o presidente e um policial ferido

23:28 – Centenas de milhares de pessoas se aproximaram do cerco que policiais rebelados mantém em torno do hospital militar onde está o presidente do Equador, Rafael Correa, e ocorreu um tiroteio entre as duas partes, segundo transmitiu a televisão pública do país

21:35 – O ministro das Relações Exteriores, Ricardo Patiño, foi ferido na cabeça por policiais rebelado e levado a um hospital, informou o governo

20:14 – Aeroporto de Quito reabre após fim de protesto de oficiais da Força Aérea

20:11 – “Saio daqui como presidente ou como cadáver”, diz Correa de hospital onde está isolado em Quito

19:56 – Policiais rebelados tentam cortar o sinal da TV pública equatoriana

19:51 – A Casa Branca divulga seu apoio a Rafael Correa

19:26 – Veja vídeo postado no You Tube de protestos de policiais contra  Correa na cidade de Cuenca

19:15 – O governo do Equador diz que há um morto e alguns feridos após o enfrentamento entre manifestantes leais ao presidente Rafael Correa e policiais debelados no Regimento Quito

18:48 – O governo do Equador ordena a todos os canais de televisão e rádio do país que suspendam por tempo indefinido sua programação e emitam o sinal da rede pública

18:45 – O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, anuncia o fechamento da fronteira com a Colômbia em apoio a Correa. Com isso, todas as fronteiras terrestres do país estão fechadas.

18:34 – O vice-chanceler Antonio Patriota vai representar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na reunião de emergência da Unasul sobre a crise no Equador

18:11 A companhia aérea chilena LAN cancelou voos entre Santiago e Quito

17:35 – O governo americano também condenou a crise no Equador e defendeu Correa. “Os EUA condenam toda tentativa de violar o processo constitucional no Equador. Apoiamos o governo democrático do presidente Rafael Correa”, disse a embaixadora americana na OEA, Carmen Lomellin.

17:27 – O comandante da Polícia Nacional, Felix Martínez,  garantiu a segurança do presidente Rafael Correa e pediu que os policiais debelados voltem ao diálogo.   “Vocês têm o direito de reclamar e discordar, mas o melhor caminho é o diálogo”, disse Martínez em pronunciamento. segundo Martínez, Correa não está sequestrado.

16:50 – A rádio estatal equatoriana informa que uma pessoa foi ferida no braço com uma bala durante os enfrentamentos entre policiais rebelados e manifestantes leais ao presidente Rafael Correa

16:43 – As principais instituições do governo equatoriano confirmaram o apoio a Correa. Em comunicado conjunto, o Conselho Nacional Eleitoral,  o Parlamento, A Corte Nacional de Justiça, a procuradoria-geral e a controladoria-geral da República defendem o presidente.

16:38 – No lado de fora do hospital em que Correa está internado e isolado,   os policiais rebelados enfrentam manifestantes pró-presidente, que atiram pedras nos oficiais.

16:35 – O presidente francês, Nicolas Sarkozy, e mexicano, Felipe Calderón, também manifestam seu apoio a Correa

16:30 – O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, conversou com o colega equatoriano, Ricardo Patiño, e transmitiu o apoio e a solidariedade do governo brasileiro ao presidente Rafael Correa

16: 28 – Cuba e Colômbia também manifestam seu apoio a Rafael Correa

16:27 “Pedimos calma. Agentes políticos estão desinformando elementos das Forças Armadas”, diz o comandante general das Forças Armadas

16:26 – A cúpula militar do Equador começa a dar uma entrevista coletiva em Quito.

16:22 – A manifestação pró-Correa chega ao hospital onde o presidente está isolado e é dispersada pela polícia rebelada com bombas de gás lacrimogênio.

16:12 – A chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, pediu a manutenção da ordem constitucional no Equador

16:07 – O estado de exceção foi anunciado na conta da presidência no twitter (@presidencia_ec)

16:06- O governo delegou ao Exército – que continua leal a Rafael Correa – a responsabilidade pela segurança externa e interna do país. O estado de exceção ficará em vigor por uma semana

15:50 – O presidente do Peru, Alan Garcia, ordenou o fechamento da fronteira com o Equador

15H45: Governo do Equador declara Estado de exceção no país

15:38 – As aulas foram suspensas no Equador, informa o ministério da Educação

15:37: Os manifestantes marcham ao regimento da polícia nacional, foco das manifestações.

15:08: Na sede do palácio, o chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, convoca os manifestantes a marcharem ao hospital para resgatar Correa, informa a rádio estatal equatoriana (Ouça a transmissão em espanhol)

15:07 –  Centenas de equatorianos leais ao presidente Rafael Correa se reúnem em frente ao presidencial com bandeiras e cartazes de apoio, informa a agência Reuters

15:04 – O presidente do Chile, Sebastián Piñera, afirmou seu apoio ‘absoluto’ ao presidente equatoriano, Rafael Correa. “Expressei ao presidente e ao povo equatoriano o mais absoluto respaldo do Chile à ordem constitucional e à democracia do Equador”, disse.

15:00 –  Correa acusa os manifestantes de tentarem invadir seu quarto no hospital e a rádio estatal chama os equatorianos a saírem as ruas para defender o presidente.

14:59: Leia a reportagem do estadão.com.br Correa acusa oposição de tentar derrubá-lo com golpe de Estado.

14:49 – Os policiais e militares protestam contra uma lei proposta por Correa que revisa os benefícios de setores do funcionalismo público. A legislação aumenta o tempo de serviço e corta privilégios salariais de algumas categorias.  O presidente pretende cortar os gastos do Estado para equilibrar as contas públicas.

14:46 –

14:44 – A Organização dos Estados Americanos se reúne em estado de emergência para discutir a crise no país

14:41: Acompanhe a entrevista pela rádio estatal equatoriana (em espanhol)

14:38– Pela rádio estatal, Correa acusa manifestantes de traição e conspiração. Ele diz ainda que a oposição tenta dar um golpe de Estado no país

14:32 – No quartel onde discutiu com os grevistas, Correa foi atingido no pé por uma bomba de gás lacrimogêneo. Ele foi levado a um hospital próximo, que está cercado por manifestantes

14:32: A chancelaria da Espanha divulga um comunicado no qual condena ‘a tentativa de golpe de Estado’ no Equador e manifesta o apoio ao governo legítimo de Rafael Correa

14:31 – A agência de notícias France Presse informa que os policiais rebelados ocuparam o Congresso do Equador

14:26 –  O presidente Rafael Correa deixou o principal quartel policial de Quito em meio a um tumulto e uma nuvem de gás lacrimogênio. Correa, que há pouco tempo operou o joelho, deixou o local de muletas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.