As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Militar que matou Bin Laden revelará identidade na televisão

Canal 'Fox' exibe documentário com entrevista do integrante da elite da Marinha e detalhes da operação que matou o terrorista

Redação Internacional

30 de outubro de 2014 | 11h36

WASHINGTON – O militar da unidade de elite da Marinha dos Estados Unidos, conhecida como Navy Seals, que matou o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, revelará sua identidade em um documentário que será exibido em novembro no canal Fox, anunciou a emissora na quarta-feira 29.

O documentário de duas horas de duração intitulado “O homem que matou Osama bin Laden” será mostrado em duas partes, nos dias 11 e 12 de novembro, e apresenta uma entrevista com o soldado, explicou a Fox em um comunicado. O militar fez parte do comando especial que executou a operação para eliminar o terrorista em Abbottabad, no Paquistão.

A Fox afirmou que explicará detalhes da operação no documentário, como foram os últimos minutos de Bin Laden e o papel do militar no comando especial. Além disso, serão exibidas imagens até agora inéditas da cerimônia do último aniversário dos atentados de 11 de setembro no Museu da Memória de Nova York – na ocasião, o militar doou a camisa que usou durante a missão.

As ações dos Seals não costumam ser divulgadas e as identidades dos integrantes da elite da Marinha são mantidas em segredo e somente são divulgadas quando um deles morre – sem detalhar as circunstâncias reais da morte -, por razões de segurança. Mas essa não será a primeira vez que a Fox identifica um dos membros do comando que matou Bin Laden.

Em 2012, a emissora revelou a identidade de Matt Bissonnette, de 36 anos, já reformado e autor do livro “No Easy Day: The Firsthand Account of the Mission That Killed Osama bin Laden” (Não Há Dia Fácil: relatos em primeira mão da missão que matou Osama bin Laden, tradução livre), que assinou sob o pseudônimo de Mark Owen.

Bin Laden morreu na noite de 1.º para 2 de maio de 2011, depois de ser considerado procurado pelos EUA por mais de uma década. /EFE

Tudo o que sabemos sobre:

11 de SetembroEUAOsama bin Laden

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.