As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Momentos da carreira política de Berlusconi

Redação Internacional

27 de novembro de 2013 | 15h25

O ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi foi cassado nesta quarta-feira, 27, após ser condenado à prisão por fraude fiscal. Berlusconi perderá seus direitos políticos, mas ainda pode exercer um papel de liderança dentro do partido que criou, Forza Italia.

Veja pontos da carreira política do ex-primeiro-ministro envolvido em escândalos de corrupção e sexuais:

Março de 1994 – Após uma série de escândalos de corrupção danificar a imagem das elites políticas da Itália, o bilionário magnata da mídia Silvio Berlusconi inicia sua carreira política ao vencer as eleições pelo partido Forza Itália

Dezembro de 1994 – A Liga Norte (Lega Nord, em italiano), um dos poucos partidos aliados de Berlusconi, se retira da coalizão de governo, forçando o primeiro ministro a renunciar.

Maio/Junho de 2001 – Coalizão de centro-direita, liderada por Silvio Berlusconi, vence as eleições gerais na Itália; Berlusconi forma um novo gabinete que inclui os líderes de dois partidos de direita: Gianfranco Fini, da Aliança Nacional, e Umberto Bossi, da Liga Norte.

Janeiro de 2002 – Berlusconi assume o cargo de chanceler.

Fevereiro/março de 2002 – O Parlamento aprova uma emenda permitindo que Berlusconi mantenha o controle sobre suas empresas enquanto permanece no poder.

Julho de 2008 – Opositores ao mandato do premiê e grupos sociais protestam no centro de Roma contra Berlusconi e criticam seu governo, que chamam de ditatorial e repressivo aos imigrantes. A revista L’Espresso divulga escutas telefônicas que relacionam o primeiro-ministro a um caso de tráfico de influência.

Maio de 2009 – A esposa do primeiro-ministro, Veronica Lario, inicia os trâmites do divórcio após 17 anos de casamento, depois de ficar sabendo que seu marido selecionou um grupo de candidatas às eleições europeias baseado unicamente em atrativos físicos.

Junho de 2009 – O jornal La Repubblica afirma que a Justiça investiga cinco festas sediadas em residências oficiais de Berlusconi, em que pode ter havido prostituição e consumo de cocaína.

Outubro de 2010Berlusconi classifica como “lixo” as matérias que informam sobre um novo escândalo sexual com a suposta presença de uma menor de idade de origem marroquina, conhecida como Ruby. O episódio teria acontecido na casa do primeiro-ministro em Arcore, no norte da Itália.

Novembro de 2010 – Berlusconi afirma à imprensa que as mulheres “fazem fila” agora que ele está solteiro, depois de iniciar o processo de divórcio de sua segunda mulher.

Fevereiro de 2011 – O Ministério Público de Milão solicitou julgamento imediato por prostituição de menores e abuso de poder pelo suposto envolvimento de Berlusconi no “caso Ruby”.

Maio de 2013 – O Tribunal de Apelação de Milão ratifica a sentença em primeira instância contra Berlusconi por evasão fiscal no caso Mediaset.

Junho de 2013 – Berlusconi é condenado a sete anos de prisão, perda de direitos políticos e pagamento das despesas processuais por prostituição de menores no julgamento do “caso Ruby”. Seus advogados recorrem.

Julho de 2013 – O Supremo Tribunal da Itália começa o julgamento do caso Mediaset, depois de um apelo feito pelos advogados do ex-primeiro-ministro.

Setembro de 2013 – Berlusconi enfrenta a votação de um processo de impeachment que pode retirar seu mandato de senador e bani-lo da vida política por até três anos.

Outubro 2013 – Berlusconi desiste de tentar derrubar o governo do premiê Enrico Letta. Ele tinha determinado que ministros de seu partido, o PDL, tirassem o apoio da coalizão chefiada pelo Partido Democrático em razão de uma votação de impeachment contra ele no Senado.

Novembro de 2013: Documentos de um tribunal mostram que Berlusconi era o mestre de cerimônias de festas sexuais apelidadas de “bunga-bunga” em sua luxuosa mansão perto de Milão.

26 de novembro de 2013: Partido Forza Italia anuncia que vai deixar de apoiar a coalizão governista. “Deixaram de existir as condições para continuar cooperando com o governo”, disse o porta-voz do partido, Paolo Romani, em sua conta no Twitter.

27 de novembro de 2013: Senado italiano cassa mandato de Berlusconi.

 

 

Mais conteúdo sobre:

ItáliaSilvio Berlusconi