As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mudanças climáticas deixarão mais 100 milhões famintos até 2050, diz ONU

Robson Morelli

14 de dezembro de 2009 | 11h01

Com o clima na pauta dos últimos dias, especialistas da ONU alertaram que cerca de 100 milhões de pessoas podem passar fome até o meio do século por conta das mudanças climáticas. Um relatório do World Food Programme o número de famintos no mundo pode crescer entre 10% e 20%, dois terços somente na África.

Os campos de arroz, trigo e milho devem diminuir por conta da elevação das temperaturas e da redução de água disponível em países em desenvolvimento. Estimativas apontam que a produção pode cair entre 9% e 11%.

A África deve concentrar o maior número de vítimas da fome. Além de o continente registrar baixos índices de desenvolvimento e sofrer com a falta de alimentos, o aquecimento global deve tornar a área ainda mais árida, dificultando a produção.

Até 2050, o número de crianças que sofrem de desnutrição deve crescer 25%, colocando outras 10 milhões em risco na África Subsaariana. No mundo todo, esse número pode chegar a 24 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:

ÁfricaClimafomeONU

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.