Mundo reage à vitória de Macron na França
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mundo reage à vitória de Macron na França

Veja como os principais chefes de Estado e de governo do mundo comentaram o resultado da eleição presidencial francesa

Redação Internacional

08 Maio 2017 | 10h25

PARIS – Os líderes europeus foram os primeiros a reagir ainda no domingo, 7, à eleição do centrista Emmanuel Macron como presidente da França, celebrando o resultado como “uma vitória” para a Europa. Depois, foram seguidos por outros chefes de Estado e de governo de todo o mundo, incluindo o presidente do Brasil, Michel Temer.

Confira abaixo algumas das reações mundiais:

– Brasil

Através do Twitter, o presidente Michel Temer felicitou Macron “pela vitória nas eleições para Presidente da França”.

Disse ainda que “Brasil e França continuarão a trabalhar juntos em favor da democracia, dos direitos humanos, do desenvolvimento, da integração e da paz”.

Vitória de Macron foi destaque na imprensa de todo o mundo (AFP PHOTO / GERARD JULIEN)

Vitória de Macron foi destaque na imprensa de todo o mundo (AFP PHOTO / GERARD JULIEN)

– União Europeia

Os franceses escolheram um “futuro europeu”, comemorou o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, também saudou a decisão dos eleitores franceses a favor “da liberdade, da igualdade, da fraternidade”.

“Contamos com uma França no coração da Europa para mudarmos a União juntos e aproximá-la dos cidadãos”, tuitou o presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, felicitando Emmanuel Macron.

– França

O presidente francês em final de mandato, François Hollande, telefonou para Macron para “felicitar afetuosamente” seu ex-ministro da Economia.

Alemanha

A vitória de Macron “é uma vitória para uma Europa forte e unida e para a amizade franco-alemã”, declarou Steffen Seibert, porta-voz da chanceler alemã, Angela Merkel.

Já o ministro alemão das Relações Exteriores, Sigmar Gabriel, considerou que, com esse resultado, a França permanece “no coração da Europa”.

– Estados Unidos

“Felicidades a Emmanuel Macron por seu grande triunfo hoje como próximo presidente da França”, tuitou o presidente americano, Donald Trump. “Estou impaciente para trabalhar com ele!”, acrescentou.

Também pelo Twitter, o ex-presidente dos EUA Bill Clinton publicou: “Felicidades ao presidente eleito @EmmanuelMacron e ao povo francês”.

“Vitória para Macron, França, a UE e o mundo”, disse a ex-candidata à Presidência americana, Hillary Clinton. “Uma derrota para os que interferem na democracia”, acrescentou a ex-secretária de Estado, antes de agregar, em alusão implícita a quem a condenou por ter jogado a culpa nos russos por sua derrota eleitoral: “Mas a mídia diz que não posso falar disso”.

– China

O presidente chinês Xi Jinping enviou uma mensagem de felicitações a Emmanuel Macron e afirmou que a “China continua pronta para trabalhar com a França para fazer progredir a associação estratégica franco-chinesa a um nível superior”.

“China e França, por sua condição de membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU compartilham uma responsabilidade particular e importante para a paz e o desenvolvimento no mundo”, afirmou o presidente chinês, ao recordar que a França, em 1964, foi a primeira potência ocidental a estabelecer relações diplomáticas com a China comunista.

– Japão

O triunfo de Macron é uma vitória “contra a tendência de isolamento em si mesmo e o protecionismo. Também evidencia um voto de confiança na UE”, disse o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe.

– Reino Unido

A primeira-ministra britânica, Theresa May, “felicita sinceramente” Emmanuel Macron, declarou um porta-voz, acrescentando que ela “se congratula” de trabalhar com ele.

No Twitter, o prefeito de Londres, Sadiq Khan, afirmou que “os franceses optaram pela esperança acima do medo, pela unidade acima da divisão. Felicidades @EmmanuelMacron”.

– Rússia

O presidente russo Vladimir Putin pediu ao presidente eleito para “superar a desconfiança mútua” ante “a ameaça crescente do terrorismo e do extremismo violento” no mundo.

“Os cidadãos da França confiaram em você para liderar o país em um período difícil para a Europa e para toda a comunidade mundial. A ameaça crescente do terrorismo e do extremismo violento está acompanhada por conflitos locais e pela desestabilização de regiões inteiras”, afirma Putin em um telegrama de felicitação a Macron divulgado pelo Kremlin.

Já o presidente da Comissão de Informação da Câmara da Federação, Alexei Pushkov, considerou que “a decepção se instalará muito rapidamente” entre os eleitores de Macron, que herda – segundo ele – um “país cindido, dividido”.

– Espanha

“Parabéns a @EmmanuelMacron, novo presidente da #França. Trabalhemos França e Espanha por uma Europa estável, próspera e mais integrada MR”, tuitou o presidente espanhol, Mariano Rajoy.

– Colômbia

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, tuitou: “Felicito @EmmanuelMacron pelo triunfo nas eleições da França. Fortaleceremos nossa amizade e cooperação em paz, educação e comércio”. Santos disse estar “emocionado por poder visitá-lo no mês que se inicia”.

– Ucrânia

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, felicitou Macron, publicando uma mensagem em francês no Twitter, e considerou sua vitória um “importante crédito de confiança dos franceses para uma Europa unida”.

Afirmou ainda que conta “com a colaboração ambiciosa da França e com a intensificação do formato Normandia”, que agrupa Paris, Berlim, Kiev e Moscou, com o objetivo de solucionar o conflito na Ucrânia.

– Itália

“Viva Macron presidente. Uma esperança surge na Europa”, escreveu o chefe do governo italiano, Paolo Gentiloni, no Twitter.

– Portugal

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, elogiou a vitória de Macron, que representa “uma vitória para a democracia, para o Estado de direito e para os valores mais elementares de liberdade, igualdade e fraternidade que fizeram da França uma referência mundial”.

Já o primeiro-ministro português, Antonio Costa, tuitou que Emmanuel Macron será “um excelente sócio” e que o novo presidente da França “trabalhará com tenacidade em uma Europa mais forte, mais solidária e mais unida”.

– Grécia

A vitória de Macron é “uma inspiração para a França e para a Europa”, tuitou o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras. “Tenho certeza de que trabalharemos juntos de forma estreita”, completou.

– Bélgica

O primeiro-ministro belga, Charles Michel, considerou que, com a eleição de Macron, “uma rejeição clara de um projeto de isolamento perigoso para a Europa triunfa esta noite”.

Algo incomum, o Palácio Real também se manifestou, expressando suas “felicitações” a Mácron. “A maioria dos franceses se pronunciou por uma #França na #Europa”, tuitou a instituição.

– Dinamarca

O primeiro-ministro dinamarquês, Lars Lokke Rasmussen, felicitou Macron e declarou: “podemos fazer mais juntos do que sozinhos”.

– Marrocos

O rei do Marrocos, Mohamed VI, felicitou o novo presidente, considerando que sua eleição “coroa” sua trajetória política.

– Guiné

Em uma nota, o presidente guineano, Alpha Condé, disse estar “convencido de que as relações de cooperação [bilaterais] vão-se reforçar no mandato do presidente Macron”.

– Austrália

Cumprimentei o presidente eleito, Emmanuel Macron, e ele me respondeu agradecendo a saudação e esperando que trabalhemos juntos, disse o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull. “Temos muitas coisas em curso na França neste momento. Temos um enorme contrato sobre submarinos e vários outros projetos, além de História em comum”, acrescentou.

– Israel

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, assegurou ter vontade de trabalhar com Macron “para enfrentar os desafios comuns das duas democracias e aproveitar as oportunidades comuns”.

O premiê israelense insistiu em que uma das maiores ameaças mundiais é o “terrorismo islâmico que se abateu sobre Paris, Jerusalém e muitas outras cidades do mundo”, e expressou seu desejo de que a França e seu país, “aliados há muito tempo”, aprofundem sua relação.

– Irã

Em um comunicado, o Ministério de Exteriores iraniano expressou sua esperança de que “Teerã e Paris sejam testemunhas do desenvolvimento das relações, em linha com os interesses nacionais de ambas as partes durante o mandato do novo presidente”.

O ministério lembrou que nos últimos anos preparou o terreno para que as duas nações “experimentem uma maior cooperação”. / AFP e EFE

Mais conteúdo sobre:

FrançaEmmanuel Macron