Na Indonésia, quadrinhos contra o terror
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Na Indonésia, quadrinhos contra o terror

Redação Internacional

24 de setembro de 2010 | 17h39

Achmad Ibrahim/AP

O único terrorista sobrevivente do maior atentado já realizado na Indonésia, Ali Imron, se tornou personagem em de uma história em quadrinhos que circulará nas escolas do país no mês que vem para prevenir os jovens de se unirem a organizações insurgentes.

Cerca de 10 mil cópias do livro Ketika Nurani Bicara (Quando a Consciência Fala) serão distribuídos para crianças, em uma tentativa da ONG Lasuardi Birru de alertar contra os perigos do extremismo religioso, de acordo com a BBC.

“O objetivo do livro é simples. Ali Imron quer compartilhar sua experiência porque se arrepende de ter se envolvido com o terrorismo. Ele quer prevenir a geração mais nova de fazer o que ele fez”, diz Dhyah Madya Ruth, responsável pela ONG que publicou o livro.

Imron atualmente cumpre prisão perpétua pela participação no atentado a bomba em um hotel de Bali que deixou 202 mortos, muitos deles turistas estrangeiros. Ele escapou de ser condenado à morte por se dizer arrependido várias vezes e ter cooperado com a polícia.

A Indonésia é o país com a maior população muçulmana do mundo. O país sofreu vários ataques do grupo Jemaah Islamiah, ligado à Al-Qaeda. O grupo quer estabelecer um Estado islâmico no país e em outras áreas do sudeste asiático. Ultimamente, porém, a Indonésia não tem registrado atentados.

Tudo o que sabemos sobre:

Indonésiaterrorismo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.