As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Netanyahu responde em vídeo a tentativa de palestinos de buscar reconhecimento na ONU

Redação Internacional

29 de novembro de 2012 | 10h18

A busca pelo Estado palestino

TEL-AVIV – O primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, publicou em sua página no Facebook um vídeo em que procura dar uma resposta à busca dos palestinos pelo reconhecimento na ONU, assunto que será votado nesta quinta-feira, 29, na Assembleia-Geral. Israel, bem como os Estados Unidos, se opõe ao pedido palestino.

“Israel está preparado para viver em paz com um Estado palestino, mas para a paz durar, a segurança de Israel deve ser assegurada”, afirma Netanyahu, no vídeo. Segundo o premiê, “os palestinos devem reconhecer o Estado judeu e devem estar preparados para acabar com o conflito com Israel de uma vez por todas”.

Ao se referir ao plano palestino, Netanyahu diz que “nenhum desses interesses vitais para a paz aparece na resolução que será apresentada diante da Assembleia-Geral hoje”. Em seguida, justifica: “É por isso que Israel não pode aceitar isso (o pedido)”. Israel tem defendido que a “única maneira de alcançar a paz é por meio de acordos que serão alcançados por meio de negociações, e não através de resoluções da ONU”, algo que o premiê também afirma no discurso.

Na opinião de Netanyahu, “esta resolução é tão unilateral, que em vez de avançar a paz, ela a empurra para trás”. Assista ao vídeo, em inglês (o texto continua logo abaixo):

 

No vídeo, gravado na manhã de hoje no Menachem Begin Heritage Center, em Jerusalém, Netanyahu aparece diante de fotos do então presidente egípcio Anwar Sadat, em 1979, que assinou com Menachem Begin, então premiê de Israel, o primeiro acordo de paz do Estado judaico com um país árabe, mediado pelos EUA de Jimmy Carter. Além do Egito, apenas a Jordânia tem acordo com Israel, firmado em 1994 entre o rei Hussein I e o premiê Yitzhak Rabin, com a mediação de Bill Clinton.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: