No Iêmen, árbitro de futebol troca apito por fuzil AK-47; veja
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

No Iêmen, árbitro de futebol troca apito por fuzil AK-47; veja

Em partida disputada em aldeia de Shabwa, no sudeste do país, juiz precisa disparar arma para o alto para jogadores respeitarem marcação de falta; conflito armado já deixou 10 mil mortos e 14 milhões de pessoas à beira da fome

Redação Internacional

27 Novembro 2018 | 11h57

SANAÁ – O conflito armado no Iêmen já dura quase quatro anos, deixou cerca de 10 mil mortos e deflagrou a pior crise humanitária no mundo, segundo a ONU, com 14 milhões de pessoas à beira da fome.

Com o país envolto pela violência, até mesmo tarefas simples e comuns, como apitar uma partida de futebol, requerem adaptações ao cotidiano disfuncional do Iêmen, como revelou nesta semana um tuíte publicado por uma analista. Nele, o árbitro usa um fuzil Kalashnikov para controlar o jogo.

Na breve filmagem, é possível ver um grupo de homens disputando uma partida do esporte bretão em um campo de terra. Não é possível identificar claramente a divisão das equipes, mas um homem se destaca entre eles: é o árbitro, que carrega uma AK-47 em vez de um apito.

Em determinado momento, depois de sinalizar uma falta e ser ignorado pelo grupo, ele dispara o fuzil para o alto para se fazer ouvir.

De acordo com informações do jornal espanhol El Pais, o jogo foi registrado em uma aldeia de Shabwa, uma província no sudeste do Iêmen, que é controlada por forças pró-governamentais – ainda restam na região, no entanto, redutos do Estado Islâmico e da Al-Qaeda na Península Arábica.

Também chama atenção o traje usado pelos iemenitas que disputam a partida. Ele estão vestidos com o macawis (maawiis), um tecido retangular que é enrolado na cintura, similar a uma saia pareô, om uma camisa por cima, uma vestimenta inusitada para a prática esportiva.

Negociações

O enviado das Nações Unidas no Iêmen, Martin Griffiths, se reuniu nesta segunda-feira , 26, em Riad com os dirigentes iemenitas exilados na capital saudita, com o objetivo de impulsionar as negociações de paz.

Após ter se reunido no sábado com o líder dos rebeldes houthis, Griffiths tratou com o vice-presidente Ali Mohsen Al Ahmar “os preparativos da próxima mesa de negociação de paz” na Suécia, que será realizada em uma data ainda não estabelecida pela ONU.

O fuzil de origem russa AK-47, como o segurado por menino iemenita, ganhou uso inusitado por árbitro em partida de futebol disputada em aldeia (REUTERS/Khaled Abdullah)

O fuzil de origem russa AK-47, como o segurado por menino iemenita, ganhou uso inusitado por árbitro em partida de futebol disputada em aldeia (REUTERS/Khaled Abdullah)

O enviado da ONU defendeu a necessidade de consolidar os esforços dos rebeldes para demonstrar a sua “seriedade e credibilidade”, informou a agência Saba.

A iniciativa é a mais importante nos dois últimos anos, nos quais se acentuaram as consequências devastadoras da guerra no Iêmen. / COM AFP