As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Norte-coreano corajoso

João Coscelli

17 de fevereiro de 2011 | 07h00

Quatro quilômetros de um campo minado vigiado por guardas. Nem isso foi o bastante para deter um norte-coreano que, no dia das festividades do aniversário de Kim Jong-il, desertou para o país vizinho do Sul.

O corajoso norte-coreano foi encontrado por guardas da Coreia do Sul logo após cruzar a fronteira e foi levado para um interrogatório. Não se sabe como ele atravessou o campo minado e ainda assim evitou ser visto pelos soldados do Norte. Ele desertou na noite da terça-feira.

A Zona Desmilitarizada na fronteira entre os países desde o fim da Guerra da Coreia, em 1953, é fortemente guardada e pouco visitada. Há apenas duas paragens usadas por autoridades construídas em 2000, quando os vizinhos começaram a restabelecer seus laços.

Centenas de norte-coreanos fogem do país todo ano. Os principais motivos são a perseguição política e as duras condições de vida no empobrecido país comunista. Muitos desertam pela fronteira norte, com a China, onde há menos vigilância, mas a maioria tenta a sorte no caminho para a Coreia do Sul – cerca de 20 mil já conseguiram chegar ao vizinho.

A deserções são motivo de vergonha para Pyongyang, mas as histórias ficam só entre os figurões. A imprensa, controlada pelo governo, não mostra esse tipo de coisa à população e esteve ocupada com as comemorações do 69º aniversário do ‘Grande Líder Kim Jong-il’.

Veja também:
blog Arquivo Estado:
O armistício de Pan-Mun-Jon
especial Infográfico: As origens do impasse na península coreana

Reuters

Tudo o que sabemos sobre:

Coreia do NorteCoreia do SulKim Jong-il

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.