O brasão polêmico de Piñera
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O brasão polêmico de Piñera

Marcelo de Moraes

10 de março de 2010 | 20h17

 

Brasão adotado por Piñera: lembrança da era militar

Brasão adotado por Piñera: lembrança da era militar

 

Antes mesmo de assumir o governo, o presidente eleito do Chile, Sebastián Piñera, divulgou o brasão de sua gestão. No lugar do quadrado estilizado, com as cores do Chile, que foi usado pelos governos dos ex-presidentes Ricardo Lagos e Michelle Bachelet, Piñera preferiu um austero escudo de armas em tons de negro e cinza com os dizeres: “Pela Razão ou pela Força”, acompanhado, logo abaixo, pela frase “governo do Chile”.

 Longe de ser apenas uma mudança estilística, o regresso de Piñera às origens da heráldica chilena (o emblama original foi desenhado em 1834) pode ser interpretado como o elo mais visível de ligação entre o candidato de direita – centro-direita, para alguns – e as tradições mais rígidas da cultura local. O lema “Pela Razão ou Pela Força” foi usado com orgulho durante a ditadura militar de Augusto Pinochet, que, entre 1973 e 1990, deixou cerca de 3 mil mortos* e milhares de torturados.

 Em 2004, o senador chileno Nelson Ávila propôs que os dizeres do escudo fossem ligeiramente alterados para: “Pela Força da Razão”, mas, seis anos depois, seu projeto continua empacado no Congresso. (João Paulo Charleaux)

* Correção: Cerca de 30 mil pessoas foram torturadas, não mortas pela ditadura

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.