As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O pensamento do novo ministro da economia chavista

Redação Internacional

12 Janeiro 2016 | 19h18

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, nomeou na semana passada o acadêmico Luis Salas, como novo ministro da Economia. Ele é conhecido pelas posições pouco comuns sobre a economia. Veja algumas de suas ideias

1 “Na inflação, estão expressas as lutas entre o setor empresarial contra o salário dos trabalhadores para aumentar os lucros”

2 – “A inflação é a face econômica do fascismo político”

3 – “Não faz sentido falar de inflação e escassez quando tratamos de especulação usura e ágio”

4 – “O diagnóstico equivocado começa quando se fala de inflação para falar dos altos preços dos bens e serviços. E continua quando se afirma que isso é provocado pela intervenção do Estado”

5 – Afirmar que a inflação se deve a um desequilíbrio entre produção e consumo, sendo que o último é maior que o primeiro é uma premissa tanto falso quanto perigosa. Se fosse o caso, haveria hiperinflação na Venezuela desde os anos 50.

6 – Os preços não aumentam pela escassez de produtos, mas pelas relações entre os meios de produção. No caso das economias capitalistas, estão intermediadas pela sanha em busca do lucro individual e da exploração do outro: pelo egoísmo.

7 – A inflação não existe na vida real. Quando uma pessoa vai no mercado e vê preços mais altos, não está presenciando uma “inflação”

8 – O controle de preços é um falso problema porque nos mercados os preços estão sempre controlados

9 – Argumentar que é preciso acabar com o controle de preço porque é ruim em virtude do mercado negro e do contrabando é tão absurdo quanto dizer que é preciso eliminar o código penal porque não se pode prender todos os criminosos

10 – A classe empresarial venezuelana é uma classe malcriada que se converteu em um tumor econômico

Mais conteúdo sobre:

Venezuela