O presidente do Facebook
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O presidente do Facebook

Redação Internacional

11 de outubro de 2010 | 13h00

Goodluck Jonathan na ONU - Foto: Mike Segar/Reuters

O comunicado não foi por carta oficial nem pela imprensa. Foi pelo Facebook que os nigerianos souberam que o presidente Goodluck Jonathan vai concorrer à reeleição em 2011.

Com foto descontraída, pinta de pop star e posts em linguagem informal, o presidente vem conquistando adeptos virtuais no mundo inteiro – seu perfil na rede social já soma mais de 275 mil “amigos”. E a quantidade de pessoas que se relaciona com o presidente na internet se multiplica em uma velocidade de dar inveja a qualquer usuário da web: em menos de uma semana, ele conseguiu mais de 30 mil.

O perfil do nigeriano foi criado em junho e tem mais “amigos” do que personalidades que não saem do noticiário internacional como o primeiro-ministro britânico, David Cameron.

O segredo da fama do presidente no Facebook, porém, vai além das notícias mais polêmicas que ele publica. Em sua página, ele costuma fazer promessas, comentar as viagens oficiais e a agenda política. Ele também discute temas para o país como a geração de energia e responde questões dos cidadãos.

As frases de autoajuda e de elevação da autoestima do povo nigeriano postadas todos os dias são o forte de sua página na web e são as mais comentadas. Não é difícil encontrar posts como: “Um dos principais objetivos do meu governo é resgatar a dignidade da nação nigeriana e seus cidadãos.” Ou algo como: “Minha vida tem sido para servir. Estou determinado a servir meu criador, a família e o meu país.”

O líder nigeriano aprendeu que a internet é lugar de política e de propaganda e não está perdendo tempo. A prova disso é que aproveitou a web para chamar a atenção do país anunciando, no mesmo dia do concorrente, 15 de setembro, a disputa nas eleições presidenciais. Uma estratégia para ofuscar o adversário, Ibrahim Babangida.

O presidente posta todos os dias como se estivesse conversando com amigos íntimos. Mas nem tudo que ele é posta é sucesso. Comentários como a suspensão dos jogadores da seleção da Nigéria por dois anos pelo péssimo desempenho na Copa de 2010 deu o que falar. Tanto que o presidente teve de se desculpar publicamente.
 
Agora para aumentar a coleção de amigos, o presidente terá de procurar mais que bons assuntos e notícias relevantes. Afinal, com apenas 29% da população nigeriana conectada à internet, será mais difícil conseguir novos seguidores dentro do próprio país.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.