As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Os romances secretos dos presidentes franceses

Redação Internacional

13 de janeiro de 2014 | 20h01

A recente revelação do suposto caso extraconjugal do presidente francês , François Hollande, dividiu a opinião dos franceses e lançou dúvidas sobre o quanto a imprensa deve invadir a vida privada dos cidadãos.

Os relacionamentos amorosos secretos, no entanto, não são uma novidade em Paris. Pelo menos desde a década de 70, os mandatários do país tiveram seus nomes associados a amantes.

Veja abaixo os casos mais famosos:

Valéry Giscard d’Estaing (1974-1981)
O presidente eleito em 1974 pelo Republicanos Independentes teve vários casos associados a ele, entre os quais o romance com a fotógrafa Marie-Laure de Decker. Depois que deixou o cargo, o próprio Giscard admitiu várias de suas aventuras amorosas.

François Mitterrand (1981-1995)
Em 1994 a revista Paris Match publicou fotos de uma jovem muito parecida com Mitterrand. Mazarine Pingeot era, de fato, filha do presidente, mas teve sua existência mantida em segredo. Em 1996, as famílias Mitterrand e Pingeot estiveram juntas no funeral de Mitterrand.

Jacques Chirac (1995-2007)
Apesar de nunca ter um caso revelado, Chirac tinha uma reputação sobre seus relacionamentos amorosos. Em 2007, afirmou em livro publicado pelo jornalista Pierre Péan que “nunca havia abusado”, apesar de reconhecer seu “gosto pelas mulheres”.

Nicolas Sarkozy (2007-2012)
A ausência da mulher de Sarkozy, Cecilia, na festa da vitória após a eleição foi um claro indício de que o casamento do presidente não ia bem. Poucos meses depois os dois se divorciaram. No mesmo ano, foto do presidente com a cantora e ex-modelo Carla Bruni foram divulgadas. Os dois se casaram em fevereiro de 2008.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.