As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Outros ataques nos Estados Unidos motivados pelo ódio

Do assassinato de Martin Luther King Jr, em 1968, a morte de três muçulmanos na Carolina do Norte, EUA já registraram vários casos relacionados ao ódio; veja alguns deles

Redação Internacional

19 de junho de 2015 | 11h43

– Fevereiro de 2015

Três jovens muçulmanos são mortos a tiros em um apartamento próximo ao câmpus da Universidade da Carolina do Norte. O assassino era um vizinho, Craig Stephens Hicks, e a polícia abriu investigação para averiguar a possibilidade de o caso ter sido um crime de ódio

– Abril de 2014

Frazier Glenn Cross, ex-integrante da Ku Klux Klan, que já havia manifestado ódio aos judeus em ocasiões anteriores, abre fogo em áreas próximas a dois centros judaicos em Overland Park, no Estado do Kansas. Três pessoas são mortas no ataque, mas as vítimas eram todas cristãs

– Agosto de 2012

Em Oak Creek, no Estado de Wisconsin, Wade Michael Page mata a tiros seis fiéis em um templo de sikhs. Outros três frequentadores do local ficaram feridos no ataque. Page cometeu suicídio após ser baleado por um policial durante a fuga

– Setembro de 2001

O dono de um posto de gasolina no Arizona é morto por Frank Silva Roque, que o confundiu com um muçulmano. A vítima, Balbir Singh Sodhi, era sikh. Roque disse à polícia, após ser preso, que buscava “vingança pelos atentados do 11 de Setembro”

– Março de 1981

Michael Donald, jovem negro de 19 anos, é sequestrado e assassinado pela Ku Klux Klan na cidade de Mobile, no Estado do Alabama. O corpo foi encontrado enforcado em uma árvore, o que leva alguns analistas a classificar o crime como o “mais recente linchamento de um negro no país”

– Abril de 1968

O reverendo Martin Luther King Jr., líder histórico da luta por direitos civis dos negros americanos, é assassinado por James Earl Ray, defensor da “supremacia branca”. A morte de King foi estopim de protestos e tumultos em muitas cidades do país