As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

PARA LEMBAR: Na 1ª flotilha, 9 foram mortos

Patrícia Ferreira

04 de novembro de 2011 | 22h31

A chamada “Flotilha da Liberdade” que deixou a Turquia rumo à Faixa de Gaza, em maio de 2010, terminou em tragédia: a ação de comandos israelenses que invadiram um dos navios, o Mavi Marmara, deixou nove ativistas mortos – todos de nacionalidade turca, incluindo um turco-americano. A tragédia abalou seriamente as relações entre Israel e Turquia, antigos aliados. Sob pressão, Israel acabou por afrouxar um pouco o bloqueio a Gaza. Um ano depois, ativistas tentaram fazer uma nova incursão até a costa de Gaza. Mas, na ocasião, vários países proibiram que os barcos partissem de seus portos rumo ao território palestino. Segundo os organizadores do protesto, agentes israelenses ainda sabotaram pelo menos três embarcações. Ao final, a segunda flotilha nem sequer conseguiu se aproximar de Gaza.

Veja também:
Israel intercepta barcos que se dirigiam a Gaza
TV Estadão: Assista ao momento da interceptação

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.