As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Partidários de Morsi tomam as ruas do Egito; acompanhe

Redação Internacional

05 de julho de 2013 | 12h47

Dois dias depois do golpe militar que derrubou o presidente egípcio Mohamed Morsi, milhares de partidários da Irmandade Muçulmana tomaram as ruas do Cairo. Ao menos 3 pessoas morreram na repressão policial a marcha dos islamistas. Acompanhe aqui no Radar Global os desdobramentos da crise egípcia, com informações da redação e do enviado especial do Estado ao Cairo, @andreinetto.

18h55: Encerramos por hoje a cobertura minuto a minuto da situação no Egito após o golpe militar que depôs Mohamed Morsi

18h45: Manifestantes partidários e opositores de Morsi seguem na Praça Tahrir

17h37: Autoridades egípcias falam em 17 mortos nos confrontos pelo país, diz a rede Al Arabiya

17h18: Exército afasta grupos de manifestantes partidários de Morsi da ponte que leva até a Praça Tahrir

egito ap_1.jpg

17h: Tanques do Exército se movimentam perto da ponte que leva à Praça Tharir

16h53: Segundo a Reuters, fontes médicas dizem que cinco policiais egípcios morreram no Sinai nesta sexta-feira, 5, após serem atacados por um homem armado enquanto faziam guarda em frente a um edifício governamental

16h41: Manifestantes usam coquetel molotov durante confrontos no Egito

16h25: O ministro da saúde acaba de atualizar o número dos confrontos: 10 mortos e 210 feridos (via AP)

16h16: O Ministério da Saúde afirma que número de feridos em confrontos chega a 180

16h: Veja imagem do discurso do líder da Irmandade Muçulmana, Mohamed Badie, nesta sexta-feira:

badie_ap.jpg

15h50: Imagens mostram fogos de artifício sendo usados contra manifestantes na ponte que leva à Praça Tahrir

15h40: A AP informa que, segundo o ministro da Saúde, seis pessoas morreram nos confrontos desta sexta-feira

15h35: Conflitos entre manifestantes partidários e contrários a Morsi ocorrem em uma ponte do Cairo que leva até a Praça Tahrir. Horas antes, tanques do Exército se posicionavam na ponte:

egito_reuters.jpg

14h50: Manifestantes pró-Irmandade Muçulmana tentam chegar à Praça Tahrir, onde estão os partidários do golpe. O Exército está no local

14h46: O Ministério da Saúde egípcio confirmou três mortes nos protestos de hoje.

14h35: Em meio a versões conflitantes sobre a violência policial contra partidários da Irmandade Muçulmana, o canal de TV Al-Yaqeen publicou no Youtube um vídeo que mostra a execução de um manifestante pela polícia. (As imagens são fortes. Clique aqui se quiser assistir.)

14h21: Manifestantes pró-Morsi carregam homem ferido pela polícia em ato na Universidade do Cairo. (Foto: Khalil Hamra/ AP)

morsi_ferido_ap.jpg

14h09:  Nosso enviado especial ao Cairo, @andreinetto, reporta que o Exército está isolando a multidão que protesta a favor de Morsi, numa mesquita perto da Universidade do Cairo, da Praça Tahri, onde se concentram os partidários do golpe. Segundo a Irmandade Muçulmana, 4 milhões de pessoas protestam a favor do presidente deposto, mas esse número ainda não foi confirmado por outras fontes.

14h06: O presidente de facto do Egito, Adli Mansour, dissolveu nesta sexta-feira, 5, o Parlamento do país, informou a TV estatal. Apenas a Câmara alta do Congresso, a Shura, dominada por deputados islamistas, estava funcionando. A Câmara baixa não tem funções efetivas desde o ano passado, quando, a dias da posse de Morsi, a junta militar que governava o país a dissolveu.

 13h56: “Ficaremos nas ruas até que o presidente Morsi seja reconduzido ao poder”, discursou Badei

13h52: O líder da Irmandade Muçulmana, Mohamed Badei, que estava em prisão domiciliar, discursa agora na marcha de partidários de Morsi no Cairo. Ele conclama os soldados do Exército a acatarem Morsi como o presidente.

Tudo o que sabemos sobre:

Irmandade MuçulmanaMohamed Morsi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.