PERFIL: Raúl Baduel, ex-general e chavista dissidente
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

PERFIL: Raúl Baduel, ex-general e chavista dissidente

Redação Internacional

14 de agosto de 2015 | 06h00

Raúl Isaías Baduel, que foi um estreito aliado do presidente Hugo Chávez, morto em março de 2013, distanciou-se do líder bolivariano no final de 2007 por opor-se à proposta de reforma da Constituição.

Raúl Baduel conversa pelo telefone logo após deixar prisão

Raúl Baduel conversa pelo telefone logo após deixar prisão

Baduel sempre atribuiu sua prisão ao fato de ter passado de estreito colaborador de Chávez a um de seus mais ferrenhos críticos. O general da reserva foi preso em 2009 e condenado um ano depois por um tribunal militar por responsabilidade nos delitos de desvio de fundos públicos, atuar contra o decoro militar e abusar da autoridade durante sua gestão como ministro da Defesa, entre 2006 e 2007.

O general ganhou prestígio após liderar o movimento militar que permitiu o retorno de Chávez ao governo após o fracassado golpe de abril de 2002. Mas em 2010 firmou com outros ex-aliados de Chávez um texto nos jornais venezuelanos pedindo a renúncia do presidente, sob o argumento de que suas promessas de campanha, em 1999, “já não o legitimavam”. Seus companheiros militares, que se mantiveram leais ao chavismo, o declararam “traidor”.