Perguntas e respostas: Por que o México é alvo de terremotos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Perguntas e respostas: Por que o México é alvo de terremotos

País é mais suscetível a tremores em razão de placas tectônicas

Redação Internacional

20 Setembro 2017 | 17h31

1. Por que o México é atingido por poderosos terremotos?
O México é mais suscetível a fortes tremores porque fica em uma chamada “zona de subducção”, isto é, uma área de convergência de placas tectônicas, na qual uma das placas desliza por debaixo da outra. No caso do México, a placa oceânica – a Cocos – está gradualmente afundando sob uma placa continental – a da América do Norte.

Com o tempo, o estresse causado pela fricção entre as placas se torna tão grande que a energia reprimida é liberada em forma de terremoto.

A zona de subducção foi responsável pelos dois recentes abalos ao longo da costa da América Central, do centro do México ao Panamá, disse o dr. Gavin Hayes, um geofísico do Instituto de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos. Outras zonas de subducção são encontradas em várias partes do globo e os especialistas dizem que elas são responsáveis pelos mais poderosos terremotos já ocorridos.

Na realidade, terremotos com 9 graus na escala Richter ou mais só ocorrem nas áreas de subducção, disse o dr. Hayes. Exemplos de grandes abalos recentes incluem um de 9,1 graus que ocorreu no Japão em 2011, um de 9,2 graus na Indonésia em 2004, um de 9,2 graus que afetou o Alasca na Sexta-Feira Santa em 1964, e o de 9,5 graus no Chile em 1960 – o mais forte já registrado.

Voluntário e militares retiram escombros em meio aos esforços de encontrar sobreviventes na Cidade do México.  AFP PHOTO / Pedro PARDO

2. Por que os tremores no México não são sempre fortes?
Os dois terremotos que afetaram o México este mês ocorreram na Placa Cocos, em vez de entre a Placa Cocos e a Placa da América do Norte.

Sismos entre placas fronteiriças geralmente envolvem grandes falhas, por isso liberam mais energia, provocando tremores sobre amplas áreas. Mas eles também geralmente ocorrem mais na superfície, disse o dr. Hayes.

Terremotos que ocorrem dentro das placas constumam ser mais fracos, mas próximos à superfície. Consequentemente podem causar mais danos.

O tremor do dia 7 foi mais forte do que o registrado duas semanas depois, mas os especialistas dizem que ele teve menor impacto, pois o epicentro foi registrado longe de áreas densamente povoadas.

Segundo o dr. Hayes, o recente abalo ocorreu muito perto da Cidade do México porque a cidade está sob uma base sedimentar, formada sobre um antigo lago. Esse tipo de geologia amplifica o tremor mais do que em uma área com mais pedras.

Socorristas buscam crianças presas nos destroços de escola que desmoronou na Cidade do México. AP Photo/Rebecca Blackwell

3. Com qual frequência os terremotos fortes ocorrem?
Normalmente, ao menos um terremoto de 8 graus ou mais ocorre em algum lugar do mundo anualmente; há dezenas de tremores de 7 graus ou mais todo ano, explica o dr. Hayes.

Segundo ele, 2017 tem sido um ano “calmo” para terremotos. De acordo com dados do Instituto de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos, cerca de 4.200 sismos de 4,5 graus ou mais foram registrados este ano. No mesmo período em 2016 e 2015 ocorreram 5.100. Em 2014, foram quase 6 mil. / NYT