As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ponto a ponto: mudanças na política colombiana

Os tópicos que podem ser alterados em projeto de lei na Colômbia

Redação Internacional

05 de setembro de 2014 | 15h58

Veja os pontos que podem ser alterados pelo projeto de reforma política apresentado pelo presidente Juan Manuel Santos na Colômbia:

Reeleição
Fim da reeleição para os altos cargos do Executivo. A medida, que não é tradicional na Colômbia, voltou a valer com o ex-presidente Álvaro Uribe, que governou por dois mandatos. Santos, que conquistou um segundo mandato em junho, diz que o fim da reeleição pode “fortalecer a democracia” do país

Processo de paz
Reforma política do presidente Santos assegura a participação política de ex-guerrilheiros que depuserem as armas. A medida já foi acertada em uma negociação entre o governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e considerada constitucional por uma Corte

Senado
As mudanças asseguram que o candidato derrotado na eleição presidencial tenha direito a uma cadeira no Senado

Representatividade
Ainda sobre a eleição para o Senado, a reforma política quer garantir que regiões atualmente sem direito a um senador tenham representatividade na Casa. O objetivo da mudança é beneficiar, especialmente, os departamentos mais afetados pelo conflito armado

Voto obrigatório
Santos, que inicialmente queria estabelecer o voto obrigatório apenas como um teste, recuou e deixou a decisão para os congressistas diante da resistência à proposta por parte de algumas siglas da oposição

Mais conteúdo sobre:

Colômbiapolítica colombiana