As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

QUARTA-FEIRA: Vejas as principais notícias de 31 de agosto referentes à guerra na Líbia

João Coscelli

31 de agosto de 2011 | 23h59

 

Acompanhe pelo Radar Global as principais informações da guerra na Líbia, que tomou outro rumo com a entrada dos rebeldes em Trípoli, capital e sede do quartel-general do ditador Muamar Kadafi. Após uma semana de combates, Trípoli caiu nas mãos da oposição, que já organiza um novo governo e agora avança em direção a Sirte, um dos últimos redutos da resistência. Contudo, o paradeiro do coronel, que jurou lutar até a morte, ainda é desconhecido. Os jornalistas Andrei Netto e Lourival Sant’Anna, enviados especiais do estadão.com.br e do jornal O Estado de S. Paulo, estão no país africano.

Veja também:
TWITTER: Leia e siga nossos enviados à região

OPINE: Onde se esconde Muamar Kadafi?
ESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia
RADAR GLOBAL: Os mil e um nomes de Kadafi
ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’, dizia Kadafi
VISÃO GLOBAL: A insustentável situação de Kadafi
O HORÁRIO em Trípoli

QUARTA-FEIRA, 31 de agosto

19h03 – Os rebeldes líbios garantirão a segurança de Saadi Kadafi se ele se render, reportou a AFP. Saadi, filho de Muamar Kadafi, disse ainda nesta quarta que estaria negociando o fim dos conflitos com o Conselho Nacional de Transição.

18h31 – Cenas de Trípoli. Líbios comemoram o fim do mês do ramadã em parque de diversões na capital do país.

18h05 – O aiatolá Ali Khamenei, o supremo líder do Irã, acusou os Estados Unidos e Israel de tentar “sequestrar” as revoltas no mundo árabe. O fundamentalista afirmou que os dois países, inimigos do governo iraniano, querem levar o crédito pelas revoluções que estão derrubando ditaduras na região.

O Irã se mostrou favorável às revoltas, mas Teerã também enfrentou alguns protestos no primeiro semestre. O governo iraniano também é considerado um dos mais repressores do mundo, já que a oposição é perseguida e sempre há suspeita de fraudes nas eleições.

17h47 – Um correspondente da Reuters na Líbia disse ter testemunhado a captura de Abdelati Obeidi, antigo chanceler de Kadafi. Além dele, também teria sido detido Abdallah al-Hijazi, outro aliado próximo do coronel.

17h24 – As declarações dos filhos de Kadafi são conflitantes.

Saif al-Islam jurou “lutar até a morte” e disse que ninguém vai se render.

Saadi, por sua vez, disse que já entrou em contato com os rebeldes para negociar o fim dos conflitos.

A postura de Kadafi tem se alinhado com o discurso de Saif, que apenas repetiu o que o pai tem dito nos últimos meses da guerra civil da Líbia. O ditador também tem feito exatamente o contrário do que disse Saadi – afirmou várias vezes que suspenderia ataques e negociaria, o que nunca aconteceu.

17h06 – A mensagem de Saif foi veiculada minutos depois de outro filho de Kadafi, Saadi, dizer que foi autorizado pelas lideranças a negociar o fim da guerra civil na Líbia com os rebeldes.

16h52 – Mais sobre a mensagem de Saif Kadafi. Ele disse que as ameaças contra a cidade de Sirte, onde o coronel nasceu, são apenas “propaganda”. De acordo com Saif, há 20 mil homens armados no local. Ele ainda acusou os rebeldes de usar “mercenários ingleses” na revolução.


Saif no último dia 23, quando apareceu nas ruas após notícias de que havia sido preso

16h34 – Saif Kadafi, filho do ditador, está falando a um canal árabe. Ele diz que seu pai e as lideranças da Líbia estão bem e afirma que “a vitória está próxima”. Assim como o ditador, Saif pediu que os líbios “ataquem os ratos (rebeldes) em todos os lugares”. “Eles estão assustados, fugindo e temendo por suas vidas”, disse.

Segundo Saif, as declarações foram feitas em um subúrbio de Trípoli. A capital está sob poder da insurgência desde o início da semana passada e os rebeldes continuam caçando Kadafi.

14h09 – A CNN conta hoje a história de uma adolescente líbia de 19 anos que teria sido forçada por homens ligados a Kadafi a executar rebeldes. De acordo com a garota, chamada pela rede de TV de Nisreen, ela teria sido capturada em casa por soldados ligados ao regime do ditador. Ela foi obrigada, disse, a escolher entre matar insurgentes ou ser morta pelos militares.

A garota ainda relatou que teria sido forçada a se juntar a uma brigada feminina pró-Kadafi, e que ela e outras mulheres teriam sido repetidamente estupradas. A garota contou que matou 11 pessoas antes de conseguir escapar. Assista abaixo à reportagem da CNN (em inglês).

13h32 – Líderes mundiais participarão de uma reunião na capital francesa, Paris, na quinta-feira. Em pauta estará o futuro da Líbia. França e Inglaterra, que patrocinam o encontro, esperam mostrar que a cara campanha militar da Otan poderá conduzir a uma transição política que evite os erros cometidos no Iraque, informa a Reuters.

Rússia e Líbano estarão entre os participantes. A África do Sul, contudo, recusou o convite do presidente francês Nicolas Sarkozy. O correspondente do estadão.com.br e do jornal O Estado de S. Paulo em Genebra, Jamil Chade, escreve sobre o encontro em Paris. Segundo ele, “as potências mundiais se reunirão em Paris para tentar declarar oficialmente que, pelo menos politicamente, o regime de Kadafi acabou

13h22 – Confirmando a informação da AP divulgada mais cedo, um dos filhos do Kadafi, Al-Saadi, está tentando negociar os termos de sua rendição. A informação foi divulgada pelo líder dos rebeldes Abdel Hakim Belhaj à AP. Segundo ele, o primeiro contato foi feito por Al-Saadi por telefone na terça-feira, perguntando se a segurança dele seria garantida no caso de ele se entregar.

Belhaj disse à Al-Jazira que a resposta teria sido que o filho do ditador não deveria temer pela própria vida. “Dissemos a ele ‘Vamos garantir seus direitos como ser humano e o trataremos com humanidade’”, relatou o líder rebelde.

11h34 – Líbios satisfeitos com a queda de Muamar Kadafi, cujo paradeiro segue desconhecido, comemoraram hoje o fim do ramadã, o mês islâmico sagrado. Veja abaixo fotos das celebrações do ramadã ao longo do mês, em todo o mundo muçulmano.

11h18 – De acordo com um líder rebelde, um dos filhos de Muamar Kadafi estaria negociando para se entregar. A informação é da AP.

10h43 – O enviado especial do estadão.com.br e do jornal O Estado de S. Paulo à Líbia Lourival Sant’Anna conversou há pouco com a rádio Estadão ESPN. Segundo ele, algumas agências bancárias na capital, Trípoli, estão sendo reabertas.

9h09 – A Otan disse hoje que atacou “vários alvos” perto da cidade natal de Kadafi, Sirte, e de Bani Walid, localidade a sudeste de Trípoli que, dizem os rebeldes, poderia estar servindo de esconderijo pelo ditador. O paradeiro de Kadafi ainda é desconhecido, apesar do avanço dos rebeldes no país. Segundo a BBC, os rebeldes cercaram Sirte ao abrir uma terceira frente no sul da cidade. Sirte é o último reduto de Kadafi e das forças leais a ele.

8h26 – Um repórter da rede britânica BBC encontrou armas em uma fábrica de alimentos enlatados nos arredores de Trípoli. De acordo com o relato do jornalista, a maioria do armamento é de origem russa, mas havia também pistolas brasileiras no local. Assista abaixo ao vídeo da BBC em que o repórter mostra as armas.

 

8h02As sanções da União Europeia contra seis portos líbios, quatro empresas de petróleo e mais de uma dúzia de outras entidades devem ser suspensas em breve, possivelmente na sexta-feira. A informação é da Reuters, que a atribui a diplomatas da UE.

7h34 – O jornalista Andrei Netto também relata, na edição de hoje do jornal O Estado de S. Paulo, que a Argélia, vizinha da Líbia, decidiu fechar a fronteira no deserto do Saara depois das críticas dos rebeldes, motivadas pela decisão de Argel de dar abrigo, na segunda-feira, de parentes de Kadafi para o país. O CNT chegou a dizer que o refúgio à família Kadafi se trataria de “ato de agressão”.

Ainda sobre a relação entre os rebeldes líbios e Argel, Gilles Lapouge escreve em artigo no jornal que a Argélia seria amiga de Kadafi “por que o presidente Houari Boumedienne, ele também um tirano, mais refinado do que Kadafi, teme que a ‘primavera líbia’ contamine a Argélia.

7h32 – Também em Trípoli, o enviado especial do estadão.com.br e do jornal O Estado de S. Paulo Andrei Netto conta na edição impressa de hoje sobre o bombardeio da Otan à cidade natal de Kadafi, Sirte, e sobre a exigência rebelde de rendição do ditador até sábado.

7h08 – Leia na edição impressa do jornal O Estado de S. Paulo de hoje reportagem de Lourival Sant’Anna, enviado especial à Líbia. Ele informa que a ONU quer tropas estrangeiras na Líbia pós-Kadafi, em um plano que prevê a permanência de tropas da Otan e eleições no país em 2012.

A informação de Sant’Anna é baseada em um documento de dez páginas ao qual o Estado obteve acesso – o rascunho das estratégias para a Líbia pós-Kadafi. Os rebeldes, contudo, recusam a ideia de uma missão internacional no país. Ainda segundo o jornalista, os insurgentes distribuíram gasolina.

0h15 – Um resumo das mais recentes notícias na Líbia:

– Segundo enviado especial da ONU, rebeldes rejeitarão envio de forças de paz ou observadores à Líbia futuramente.

– A ONU autorizou a Grã-Bretanha a liberar cerca de US$ 1,6 bilhão em ativos líbios para a compra de ajuda humanitária.

– Aisha Kadafi, filha do ditador que fugiu para a Argélia, deu à luz uma menina. O governo argelino defendeu sua iniciativa de abrigar os familiares do coronel, mas afirmou que o entregaria ao Tribunal Penal Internacional se ele entrasse no país.

– ONU denunciou que milhares de prisioneiros das tropas de Kadafi teriam desaparecido durante a guerra na Líbia. Os rebeldes também disseram que cerca de 50 mil pessoas morreram desde o início da revolução.

– Kadafi teria deixado Trípoli e fugido para uma cidade no meio do deserto no sul da Líbia, segundo um guarda-costas de Khamis, filho do ditador.

———————————————————–

Leia ainda:

As notícias de TERÇA-FEIRA, 30 de agosto
As notícias de SEGUNDA-FERIA, 29 de agosto
As notícias de SEXTA-FEIRA, 26 de agosto
As notícias de QUINTA-FEIRA, 25 de agosto

As notícias de QUARTA-FEIRA, 24 de agosto
As notícias de TERÇA-FEIRA, 23 de agosto
As notícias de SEGUNDA-FEIRA, 22 de agosto
As notícias de DOMINGO, 21 de agosto

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.