As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Rebeldes líbios tentam evitar batalha em Trípoli

Redação Internacional

21 de agosto de 2011 | 16h28

LONDRES – As forças rebeldes líbias mal equipadas para entrar em uma cidade do porte de Trípoli poderão tentar acordos costurados localmente ou esperar a eclosão de um levante popular para quebrar a vontade das forças de Muamar Kadafi.

 A guerra civil na Líbia até agora envolveu poucas lutas urbanas sérias em cidades como Misrata, mas as batalhas, em sua maioria, foram escaramuças relativamente pequenas.

Se o dirigente líbio Muamar Kadafi conservar a lealdade de uma grande porção de suas forças de segurança na capital, as heterogêneas forças de oposição poderão ter dificuldade e haveria pouco que os ataques aéreos da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) poderiam fazer sem colocar em risco a vida de civis.

 “Estou supondo que o combate em Trípoli vai ser feroz”, disse Hayat Alvi, um estudioso da política no Oriente Médio no United States Naval War College. “O fator imprevisível será a população de Trípoli. As verdadeiras lealdades terão de se manifestar finalmente. Estou prevendo que elas serão em favor dos rebeldes, mas não sabemos o que Kadafi e seus filhos têm nas mangas.”

Avaliar a lealdade da população de Trípoli não é tarefa fácil. Os seguidores de Kadafi realizaram muitas marchas e manifestações de lealdade nos últimos meses, mas centenas, se não milhares, de seus opositores também ganharam as ruas nos primeiros estágios do levante antes de serem intimidados. A esperança dos rebeldes é que as forças de segurança se desmantelem.

 Alguns dizem que o próprio Kadafi já pode ter fugido, talvez para sua cidade natal de Sirte ou uma base no deserto mais ao sul. Os longos discursos em reuniões públicas turbulentas cederam lugar a pronunciamentos por rádio e televisão feitos por linhas telefônicas defeituosas.

 Outros, porém, dizem que a sublevação nascente reportada em Trípoli no sábado à noite pode ter começado cedo demais, com as forças de oposição ainda demasiado distantes para ajudar. Apesar da retórica de tomar Trípoli e pôr fim à guerra em horas ou dias, alguns analistas suspeitam que é mais provável que os rebeldes tratem de consolidar seu estrangulamento da cidade e esperar para ver como os fatos se desenrolam.

“Acho que eles aguardarão nos arredores e esperarão ou por um levante ou que Kadafi decida entregar os pontos e partir”, disse David Hartwell, analista do Oriente Médio para IHS Jane’s. “Se eles entrarem, poderiam encontrar muita dificuldade e estariam ansiosos para evitar isso. É relativamente óbvio que a Otan vem fornecendo apoio aéreo direto aos rebeldes. Uma coisa é em campo aberto ou em áreas pouco populosas – embora isso extrapole o mandato da ONU, para dizer o mínimo – mas seria quase impossível em Trípoli. (Peter Apps/Reuters) / TRADUÇÃO DE CELSO PACIORNIK 

Veja também:
Em pronunciamento, Kadafi assegura que sairá vitorioso

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.