As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Relatório: médicos auxiliaram em práticas de tortura em prisões americanas

Redação Internacional

01 de dezembro de 2013 | 06h00

Um relatório produzido em parceria entre a Open Society Foundations e o Institute on Medicine as a Profession nos EUA mostrou mais um episódio polêmico da chamada guerra ao terror. Segundo o documento “Ethics abandoned”, médicos e outros profissionais da saúde acobertaram e até auxiliaram em práticas de tortura em Guantánamo e presídios da CIA.

O documento mostra que médicos auxiliaram militares na realização de “interrogatórios cruéis e degradantes”, ajudaram a implementar práticas de isolamento que deixavam os detidos desorientados e ansiosos e participaram da aplicação de “métodos dolorosos” de afogamento e alimentação forçada de presos que faziam greve de fome.

Veja abaixo o relatório completo, em inglês:

Tudo o que sabemos sobre:

CIAEUAGuantánamomédicos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.