Saiba quem são os juízes da Suprema Corte dos Estados Unidos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Saiba quem são os juízes da Suprema Corte dos Estados Unidos

Conheça o perfil dos oito magistrados do principal tribunal americano, que no sábado perdeu o juiz Antonin Scalia, que morreu aos 79 anos de causas naturais

Redação Internacional

15 de fevereiro de 2016 | 14h50

Com a morte do juiz da Suprema Corte dos EUA Antonin Scalia no sábado, aos 79 anos, o presidente Barack Obama anunciou que pretende indicar um substituto antes do fim de seu mandato, em janeiro. Membros do opositor Partido Republicano, porém, já disseram que devem barrar qualquer indicação de Obama, dando início a uma guerra pelo controle do tribunal mais importante do país.

Os juízes da Suprema Corte dos EUA; Scalia, que morreu no sábado, é o segundo à esquerda entre os que estão sentados

Os juízes da Suprema Corte dos EUA; Scalia, que morreu no sábado, é o segundo à esquerda entre os que estão sentados (Foto: EFE/EPA/JIM LO SCALZO)

Conheça quem são os juízes da Suprema Corte dos EUA:

– John G. Roberts Jr., Presidente da Suprema Corte dos EUA
Indicado por: George W. Bush

Nascido em Nova York, mas criado em Indiana, Roberts Jr. Frequentou um internato na adolescência, mas também passou verões trabalhando em usinas siderúrgicas. Após pensar em estudar história em Harvard, optou pela Escola de Direito, cuja formação o levou a ser assistente do juiz da Suprema Corte William Rehnquist, em 1980. Durante o governo Reagan, passou vários anos como advogado particular, atuando em vários casos que chegaram à mais alta corte dos EUA. Posteriormente, foi um dos defensores de George W. Bush no caso da recontagem dos votos, em 2000, que confirmou a eleição do então governador do Texas para a presidência. Foi originalmente indicado à Suprema Corte para substituir Sandra Day O’Connor, que se aposentava, mas a morte de Rehnquist fez com que Bush o nomeasse como presidente da Suprema Corte, cago que ele assumiu em 29 de setembro de 2005.

– Anthony M. Kennedy
Indicado por: Ronald Reagan

Criado por parentes na Califórnia, Kennedy estudou na London School of Economics da Universidade Stanford antes de se formar em direito em Harvard e assumir o escritório de advocacia do pai. Seu trabalho com o então governador da Califórnia Ronald Reagan fez com que fosse indicado para um cargo na Corte de Apelações dos EUA – que ele assumiu aos 39 anos, se tornando, na época, o mais jovem juiz do tribunal. Inicialmente preterido para uma indicação para a Suprema Corte, Reagan o escolheu depois de sua primeira opção, Robert Bork, ser rejeitada pelo Senado.

– Clarence Thomas
Indicado por: George H. Bush

Thomas nasceu em uma pequena cidade da Georgia e foi um dos poucos afro-americanos a cursar, durante um curto período, o seminário e, em seguida, o Holy Cross College – experiências que o fizeram desconfiar de políticas de ação afirmativa. Depois de se formar em Direito em Yale, trabalhou no governo do Missouri e em Washington antes de ser nomeado diretor da Comissão por Oportunidades de Trabalho Igualitário, agência que fiscaliza denúncias de discriminação em ambientes de trabalho. Depois de uma audiência de confirmação conturbada – em que um ex-funcionário o acusou de assédio sexual – Thomas foi aprovado para a Suprema Corte relativamente jovem, aos 43 anos.

– Ruth Bader Ginsburg
Indicada por: Bill Clinton

Também de Nova York, Ruth iniciou seus estudos na Universidade Cornell, mas acabou se transferindo para a Escola de Direito de Columbia. Ela não foi aceita como ajudante de um juiz da Suprema Corte pouco depois de se formar em razão de ser mulher, ‘New York Times’. Ao dar início a sua carreira como professora e advogada, Ruth se concentrou nos direitos das mulheres – criando a primeira revista especializada focada no tema e defendendo seis casos do tipo perante na Suprema Corte. Ela foi confirmada para o Tribunal de Apelações Federal do Distrito de Columbia em 1980 e, 13 anos depois, foi nomeada pelo presidente Bill Clinton para a Suprema Corte.

– Stephen G. Breyer
Indicado por: Bill Clinton

Breyer cresceu em San Francisco, criado por seu pai, que era advogado, e pela mãe, que era ativista política. Estudou em Stanford e depois em Harvard. Depois de ser assistente do juiz da Suprema Corte Arthur Goldberg, em 1964, foi conselheiro em vários níveis no Congresso americano, incluindo no cargo de assistente especial da promotoria na Caso Watergate. Passou muitos anos no Primeiro Circuito do Tribunal de Apelações e foi considerado para a Suprema Corte em 1991, na vaga que acabou ocupada por Ruth Bader Ginsburg. No entanto, o então presidente Bill Clinton submeteu o nome de Breyer para aprovação do Senado em 1994 depois da aposentadoria do juiz Harry Blackmun.

– Samuel Anthony Alito Jr.
Indicado por: George W. Bush

Alito, filho de imigrantes italianos, foi criado em New Jersey. Enquanto estudou na Universidade Princeton, se envolveu com grupos conservadores, libertários e também o Escritório de Treinamento do Exército. Depois de estudar direito en Yale, foi procurador em New Jersey e trabalhou no Departamento de Justiça durante o governo Reagan – onde ocupou a posição de assistente do procurador-geral. Em 1990 o então presidente George H. Bush o nomeou para o Terceiro Circuito de Apelações, onde atuou até ser confirmado para a Suprema Corte, após indicação de George W. Bush, em 31 de janeiro de 2006.

– Sonia Sotomayor
Indicada por: Barack Obama

Filha de porto-riquenhos, foi criada no Bronx, em Nova York. Enquanto estudante na Universidade Princeton, lutou para que mais professores de origem latina fossem contratados e para que mais estudantes latinos fossem admitidos na instituição. Depois de estudar na Escola de Direito de Yale, se tornou promotora em Nova York e foi nomeada para o Segundo Circuito de Apelações – as cortes federais de apelação costumam ser o último degrau antes de um caso ser transferido para a Suprema Corte. No Segundo Circuito, Sonia emitiu mais de 150 opiniões em nome da maioria da corte, incluindo algumas que, posteriormente, foram anuladas pela instância superior. Foi nomeada para a Suprema Corte pelo presidente Barack Obama em 26 de maio de 2009.

– Elena Kagan
Indicada por: Barack Obama

Elena cresceu na cidade de Nova York. Aos 12 anos, convenceu o rabino de sua sinagogas a realizar o primeiro bat mitzvah formal, o rito de passagem para as mulheres. Depois de se formar na Escola de Direito de Harvard, foi assistente do juiz da Suprema Corte Thurgood Marshall. Depois de um bem sucedido período como a primeira reitora da Escola de Direito de Harvard, ela foi advogada-geral dos EUA. Elena foi nomeada para a Suprema Corte por Obama em 10 de maio de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:

EUASuprema Corte dos EUA

Tendências: